Saúde

Uso de fones de ouvido por crianças: conheça os efeitos e saiba como minimizá-los

A audição precisa ser protegida ao longo da vida, afinal os danos causados não podem ser revertidos. Infelizmente, a perda auditiva em crianças pode estar aumentando e é uma preocupação para a saúde.

3 min de leitura
08 Ago 2022 - 15h22 | Atualizado em 08 Ago 2022 - 15h22

Entre aulas on-line, jogos de inatividade e compulsão por assistir à televisão, muitas crianças passaram grande parte dos últimos dois anos de pandemia com um apêndice artificial adicional: fones de ouvido ou aparelhos colados aos ouvidos.

Com isso, muitos pais se perguntam se os fones de ouvido podem causar danos permanentes à audição. A resposta é “depende”. "Os fones de ouvido não são especificamente mais perigosos em comparação com outras fontes de ruído. No entanto, eles podem ser um veículo para exposição a ruídos perigosos se usados incorretamente", diz Boris Chang, fonoaudiólogo da Universidade de Scarborough, nos EUA.

Susan Scollie, diretora do Centro Nacional de Audiologia e professora da Faculdade de Ciências da Saúde do Canadá, explica desta forma: "O perigo é ouvir algo realmente alto por um longo tempo. Você precisa limitar o volume e a duração". A perda auditiva induzida por ruído é cumulativa. Se a criança é frequentemente exposta a ruídos altos por longos períodos, eles correm o risco de causar danos permanentes.

A maioria dos dados sobre perda auditiva a longo prazo é de estudos sobre a exposição dos adultos ao ruído no local de trabalho. Oito horas de exposição a sons a 85 decibéis (dB), o que equivale ao ruído em um restaurante lotado ou tráfego intenso, é considerado prejudicial. Então, se a criança está ouvindo filmes, música ou videogames a 85 dB ou mais por esse período de tempo de uma só vez ou cumulativamente ao longo do dia, elas podem estar em risco.


Exames de ouvido podem detectar tendência a problemas auditivos. (Foto: Reprodução/Deposit)


O volume é o fator-chave: os níveis sonoros de 70 dB (igual ao zumbido que se ouve dirigindo em um carro em velocidades de estrada) ou inferiores podem ser ouvidos por qualquer período de tempo sem qualquer risco. Sons acima de 100 dB podem causar danos permanentes em poucos minutos; acima de 125 dB (o que seria ouvido em um conserto alto ou na pista em uma corrida de carro sem proteção auricular) e os danos começam em segundos e podem ser irreparáveis.

Crianças menores de cinco anos de idade têm canais auditivos mais curtos do que crianças mais velhas e pessoas adultas, o que amplifica o som. Como Chang explica, é geralmente entendido em acústica que quanto menor um espaço fechado, maior o volume. Os fonoaudiólogos compensam regularmente as diferenças de volume do canal auditivo ao instalar aparelhos auditivos, diz ele.

O mesmo conceito pode ser teoricamente aplicado ao uso e decibéis dos fones de ouvido. Isso é tudo para dizer que a atenção deve ser destinada a minimizar a exposição a sons altos com bebês, crianças e pré-adolescentes. Felizmente, os pais têm algumas opções para ajudar a evitar danos auditivos em seus filhos, e a chave é limitar o volume e o tempo que as crianças passam usando fones de ouvido e aparelhos semelhantes.

Muitos dispositivos têm opções que permitem controlar o volume máximo de saída. Isso permite ajustar os valores de 100 dB até 75 dB. Outra opção é comprar fones de ouvido com limitação de volume que cobrem a saída de som que atinge os ouvidos de uma criança, não importa o quão alto o volume esteja no dispositivo que eles estão usando.

Ao viajar em um metrô ou avião, ou passar tempo em um espaço alto, o ruído de fundo é elevado, então a tendência é aumentar o volume. O adulto responsável pode procurar fones de ouvido profundos que tenham um encaixe confortável na orelha de uma criança ou, alternativamente, que possuam o "cancelamento de ruído" – bloqueiam sons externos enquanto estão sendo usados para que os usuários possam diminuir o volume em seu dispositivo – e ainda ouvir claramente.

Por fim, algumas crianças estão mais predispostas à perda auditiva. Caso já tenha sido sinalizada uma tendência, seja durante a triagem auditiva infantil ou após um diagnóstico por um pediatra, é aconselhado que se faça verificações frequentes e seja extremamente cauteloso com o volume máximo permitido.

Foto destaque: Uso de fones de ouvido por crianças precisa ser observado. (Reprodução/Thinkstock)

Deixe um comentário

Lorena Bueri CEO, Lorena Bueri, madrinha perola negra lorena bueri, lorena power couple, lorena bueri paparazzi, Lorena R7, Lorena Bueri Revista Sexy, Lorena A Fazenda, Lorena afazenda, lorena bueri sensual, lorena gata do paulistão, lorena bueri gata do paulistão, lorena sexy, diego cristo, diego a fazenda, diego cristo afazendo