Notícias

Surgem novos detalhes do set, após tiro acidental de ator que matou diretora

O ator Alec Baldwin estava ensaiando uma cena de Rust em que apontava uma arma cenográfica para a lente da câmera quando atirou na diretora de fotografia Halyna Hutchins casuando a morte dela, detalhes da tragédia que incluem depoimento da médica da e

3 min de leitura
26 Out 2021 - 17h10 | Atulizado em 26 Out 2021 - 17h10

Um novo relatório de lesão obtido pelo Wall Street Journal oferece mais informações sobre o tiroteio fatal no set de filmagens de 'Rust'. Os novos detalhes, que surgiram nas últimas 24 horas,  demonstram desespero da equipe médica responsável pelos cuidados com o elenco e demais funcionários durante as gravações. Os profissionais da saúde, entre estes, Dra Cherlyn Schaefer,  tentaram salvar a diretora de fotografia Halyna Hutchins do disparo acidental que resultou em sua morte. Ela foi vítima de um disparo dado pelo ator Alec Baldwin com uma arma cenográfica que estava carregada. Até o momento vem sendo atribuída ao assistente de direção do filme, Dave Halls, a entrega do revólver a Baldwin. 

“Nós estamos ensaiando? Porque ninguém gritou ‘fogo no buraco’”. Essa foi uma das perguntas da médica Schaefer ao perceber a gravidade do tiro. A frase mencionada que se refere à arma carregada é considerada um sinal de alerta para as filmagens de cenas envolvendo revólveres cenográficos que indicam o uso de efeitos especiais para sons de explosão. 
 
De acordo com divulgação do Wall Street Journal, em depoimento às autoridades do estado do Novo México, a médica contou que não testemunhou o acidente, mas expôs os instantes posteriores ao tiro.Ela teria relatado que não sabia que as filmagens tinham sido retomadas em seguida a uma pausa para o almoço, mas que ao ouvir o tiro chegou a indagar para colegas se a equipe estava ensaiando e informou ainda que correu em direção ao local das filmagens ao ouvir gritos de “emergência médica”. 
 
Ainda segundo o depoimento de Dra Schaefer, um outro profissional de saúde ligou para as autoridades médicas da região enquanto foi prestado o resgate a Halyna e inclusive ao cineasta Joel Souza que também foi atingido e levado ao hospital, mas já foi liberado. A gravação segue suspensa após a morte da cinegrafista.  
 
Por meio de sua conta no Facebook, Sergey Svetnoy, o eletricista-chefe do filme, comentou sobre o ocorrido. “Eu estava segurando ela [Halyna Hutchins] nos meus braços enquanto ela morria. O sangue dela estava nas minhas mãos”, escreveu Svetnoy.
 
Durante o socorro foi aplicado pela equipe médica pressão nos ferimentos das duas vítimas, foi oferecido oxigênio verificados e os sinais vitais de Halyna e Souza enquanto um helicóptero chegava para o resgate.
 
Joel Souza e o cinegrafista Russel Reid relataram que Baldwin estava ensaiando um movimento com a arma cenográfica dentro de uma igreja do set quando ele apontou a arma em direção a uma câmera e atirou. Reid disse que presenciou Halyna com a mão na barriga e sangrando.
 
 
Um dos responsáveis pela investigação do ocorrido, o detetive Joel Cano escreveu em seu relatório: “Reid disse que após o disparo ele lembra de Joel sangrando e Halyna dizendo que não sentia as próprias pernas”. O cinegrafista também relatou que o incidente não foi filmado.
 
 
Foto destaque:  Surgem novos detalhes do set, após tiro acidental de Baldwin que matou diretora (Reprodução/ Dailymail.com)
 
 

 

 
 
 
 

Deixe um comentário