Money

Shell cria estratégia de transição energética com o intuito de aumentar as receitas

A empresa Shell criou uma estratégia com o intuito de recuperar suas receitas, uma estratégia sustentável de transição energética.

3 min de leitura
21 Set 2021 - 11h26 | Atulizado em 21 Set 2021 - 11h26

A empresa Royal Dutch Shell mais conhecida como Shell trouxe à tona em maio deste ano uma estratégia de transição energética, as receitas da companhia tiveram uma queda de 47% no ano passado totalizando um prejuízo liquido de US$ 21 bilhões. A Shell reportou também US$ 34 bilhões em fluxo de caixa, que suportaram US$ 17 bilhões em despesas de capital e US$ 9,4 bilhões em dividendos e recompra de ações.

A Shell criou uma meta a ser cumprida até 2025, lançar 15 mil lojas de conveniência, aumentar seus serviços no varejo e implantar cerca de 500 mil pontos para o carregamento de veículos elétricos. O objetivo desse crescimento é incluir novos fluxos de receita, manter a participação no mercado, expandir a base dos clientes e adiquirir experiência em vários setores.


                                     

                                                                                     (Foto: Abastecendo veículo. Reprodução/Pixabay)


Além disso, a empresa busca alcançar uma participação de dois dígitos no mercado de hidrogênio limpo até o ano de 2035.

A Shell atualmente de acordo com essa nova estratégia tem o intuito de direcionar uma parcela maior das despesas de capital para os negócios de crescimento e transição. Por conta do avanço de uma dívida liquida de mais ou menos US$ 65 bilhões, as despesas de capital em caixa deve aumentar de US$ 22 bilhões para US$ 27 bilhões.

https://lorena.r7.com/post/Olivia-Rodrigo-faz-seu-primeiro-show-no-iHeartRadio-Music-Festival

https://lorena.r7.com/post/Nego-do-Borel-tenta-seguir-estrategia-de-Biel-porem-sem-resultados

https://lorena.r7.com/post/Vovo-olimpico-no-Flu-Clube-carioca-envia-proposta-oficial-a-Daniel-Alves

De acordo com o segmento de gás integrado a empresa tem como meta uma participação de 20% no mercado de GNL (gás natural liquefeito) até 2030, a empresa espera receber pelo menos de 35% a 40% do orçamento de aocação de capital ja que 60% dos lucros são deles. Os segmentos de produtos químicos vão se concentrar na expansão da oferta de produtos sustentáveis ​​e no processamento de cerca de 1 mtpa de resíduos plásticos até 2025, colocando em prática a estratégia sutentável da empresa Shell.

 

(Foto destaque: Posto Shell. DIvulgação/Shell)

 

 

Deixe um comentário