Digital Influencer

Ser influenciador é fácil? João Camargo desmente ideia e afirma: “Mexe muito com o psicológico”

O jovem, de apenas 20 anos, é proprietário da Scope Media, agência especializada em assessoria de influenciadores digitais.

3 min de leitura
19 Nov 2021 - 11h13 | Atualizado em 19 Nov 2021 - 11h13

O número de criadores de conteúdo e influenciadores digitais cresce a passos largos no Brasil. No ano passado, João Camargo aproveitou a alta do mercado para abrir a própria empresa e conectar marcas a influenciadores. “A Scope Media é uma agência especializada em soluções digitais. Nós trabalhamos com estratégias de marketing de conteúdo voltada ao marketing de influência”, explica o CEO e founder do negócio.

Camargo afirma que a profissão do influenciador é vista, de forma equivocada, como um trabalho simples: “Ser influenciador não é fácil. Essas pessoas costumam sofrer com uma pressão muito grande, já que precisam produzir novos conteúdos diariamente para que não sejam esquecidas”.


João Camargo. (Foto:Reprodução/internet)


Além disso, existe uma equipe que faz com que as publicidades possam veicular nos perfis dos influenciadores. Há uma série de etapas que perpassam diferentes profissionais antes do conteúdo chegar até o usuário. “A marca envia um briefing para os assessores explicando como eles querem que seja feita a publicidade. O influenciador segue as orientações da marca, produz o conteúdo e aguarda a aprovação da empresa. Só depois de todo esse processo, o post pode ser compartilhado com os seguidores”, esclarece Camargo.

Por meio da Scope Media, o empresário tem contato com a dura realidade por trás dos stories e do glamour das redes sociais. Karol Resende, Camila Franco e Juliana Motta fazem parte do time de talentos da agência. Maquiadoras e criadoras de conteúdo, elas convivem com prazos, lidam com críticas e buscam sempre acompanhar a evolução do mercado.


João Camargo tem alto engajamento nas redes sociais. (Foto:Reprodução/Internet)


“Nas redes sociais, quem não é visto, não é lembrado. É necessário uma comunidade fiel para conseguir engajamento, já que sem isso, é difícil seguir na profissão. Ou seja, uma coisa leva a outra. Para muitos, pode parecer super fácil, mas a realidade é diferente. A profissão mexe muito com o psicológico”, declara.

 

(Foto destaque: João Camargo aproveitou a alta do mercado para abrir a própria empresa. Reprodução/Internet)

 

 

Deixe um comentário