Esportes

O menino que virou rei; relembre a história de Edson Arantes do Nascimento

Edson Arantes do Nascimento se tornou o maior jogador da história do futebol, ocupando o trono máximo do esporte, fazendo história no Santos, no New York Cosmos e na Seleção Brasileira.

3 min de leitura
29 Dez 2022 - 16h12 | Atualizado em 29 Dez 2022 - 16h12

Edson Arantes do Nascimento nasceu em 23 de outubro de 1940, na cidade de Três Corações, em Minas Gerais. O jovem Edson era filho de João Ramos do Nascimento (Dondinho) e Celeste Arantes. Com quatro anos, a família se mudou para a cidade de Bauru, em São Paulo, em busca de uma melhora de vida.

Santos FC

Aos 10 anos, em 1956, Pelé começou sua carreira no futebol, pela equipe do Bauru Atlético Clube, na categoria infanto juvenil. Já com 12 anos, Pelé foi levado para fazer testes e treinar no Santos FC, onde iniciou a sua história com o clube. Durante os primeiros jogos treinos, Pelé marcou quatro gols em uma única partida, conduzindo o Santos em uma vitória por 6 a 1.


 
Pelé assina seu primeiro contrato com o Santos FC. (Foto: Reprodução)


Um mês após sua chegada ao clube, Pelé mostrou toda a qualidade que lhe faria um rei e acabou estreando em uma partida contra o Corinthians de Santo André, em partida que o Peixe acabou vencendo por 7 a 1. Na ocasião, Pelé entrou na segunda etapa e marcou um gol da goleada santista.

Já em 1957, Pelé ganhou condição de titular na equipe do Santos Futebol Clube, começou a ser conhecido nacionalmente e colecionar recordes que até hoje são difíceis de alcançar. O primeiro deles foi a artilharia do Campeonato Paulista de 1956. Na época, o Rei marcou 36 gols, sendo até hoje o jogador mais jovem a ser artilheiro do campeonato (16 anos).

No Alvinegro Praiano, Pelé comandou a famosa época de ouro da equipe, na década de 1960. Ao todo, a equipe comandada pelo trio Pelé, Coutinho e Pepe conseguiu ganhar dez campeonatos estaduais, seis Campeonatos Nacioanis (Taça Brasil e Torneio Robertão), duas Copas Libertadores e dois Mundiais de Clubes.



Santos Campeão do Mundo em 1962.
Em pé: Lima, Zito, Dalmo, Calvet, Gylmar e Mauro
Agachados: Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe
(Foto: Reprodução/Internet)


Ainda no Santos, em 1969, Pelé, que já era considerado Rei, marcou o seu milésimo gol na carreira. Na ocasião, o Santos enfrentava o Vasco da Gama, no Maracanã. O gol foi marcado de pênalti, causando a comoção no estádio e até a paralisação da partida.



Pelé comemora seu milésimo gol nos braços de jogadores e jornalistas. (Foto: Reprodução)


New York Cosmos

Após 18 anos marcando a história e se tornando o maior jogador da história do Santos, Pelé embarcou em uma nova aventura e assinou contrato com a equipe do New York Cosmos, dos Estados Unidos, em 1975. O Rei foi convencido pelos americanos com a narrativa de que ele seria uma grande influência para que a população americana conseguisse despertar um olhar diferente para o famoso futebol.



Pelé é apresentado no New York Cosmos. (Foto: Reprodução)


A mudança para o futebol americano foi bastante trabalhosa. Ao contrário dos esquadrões que Pelé já havia se acostumado, o Cosmos ainda era uma equipe em construção e ganhou reforços de peso apenas nos anos seguintes. Em 1976, o alemão Franz Beckenbauer e o italiano Chinaglia incorporaram a equipe e levantaram a moral do Cosmos. Em 1977, o reforço brasileiro veio de Carlos Alberto Torres, que ajudou a equipe a ser campeã do Campeonato da North American Soccer League (NASL).

Num todo, a ida de Pelé para os Estados Unidos foi muito boa em todos os sentidos. Em campo, foram 106 partidas e 64 gols. Nas arquibancadas, um aumento considerável de público após a chegada do Rei. Em 1974, a média de público era de 3.578 torcedores por partida. Já em 1977, o número se multiplicou por dez, chegando aos 34.142 torcedores.

Seleção Brasileira

Se nas equipes de Santos e New York Cosmos, Pelé se tornou um dos grandes do futebol, na seleção brasileira ele ganhou o status de "Rei do Futebol". 

A estreia veio em um clássico contra a Argentina, pela Copa Rocca, em pleno Maracanã. Na partida, os hermanos levaram a melhor pelo placar de 2 a 1, mas Pelé marcou seu primeiro gol pela seleção brasileira.

Em 1958, Pelé deu seu primeiro passo com a camisa 10 brasileira, na Copa do Mundo da Suécia. Porém, o jovem atacante ficou no banco de reserva nas duas primeiras partidas, contra as seleções da Aústria e Inglaterra, sendo acionado somente na terceira partida, contra a União Soviética. Ao lado de Garrincha, Pelé conseguiu o primeiro troféu da Copa do Mundo para o Brasil, além da vice artilharia da competição, com seis gols, atrás somente de Just Fontaine, da França. Até hoje, Pelé é o jogador mais jovem a vencer uma Copa do Mundo. Em 1958, o Rei tinha apenas 17 anos e 8 meses.



Pelé e Garrincha na Copa do Mundo de 1968. (Foto: Luiz Carlos Barreto)


Em 1962, o Brasil teve mudanças no comando técnico da seleção, mas continuava contando com o talento da dupla formada por Pelé e Garrincha. O que não se esperava era que Pelé ficaria de fora de grande parte do campeonato após lesão na segunda partida do Brasil, contra a seleção da Tchecoslováquia. Com isso, coube a Garrincha fazer o papel de Pelé e de Garrincha e levar nas costas a Seleção Brasileira até o bicampeonato mundial.

Em 1966, o primeiro e único fracasso de Pelé com a camisa da Seleção Brasileira. Na Copa sediada na Inglaterra, o Brasil teve como grupo na primeira fase as seleções de Portugal, Hungria e Bulgária. Após as três partidas, o Brasil saiu eliminado, fazendo apenas dois pontos e tendo uma vitória (Bulgária) e duas derrotas (Portugal e Hungria). Após a Copa, Pelé chegou a indicar uma aposentadoria da Seleção Brasileira, o que foi revogado apenas em 1970, para a Copa do Mundo do México.

Em 1970, O ápice de Pelé e da Seleção Brasileira de Futebol. No México, a seleção chegou com status de grande favorita. Comandada pelo Rei e por jogadores de muita habilidade, o Brasil não tomou conhecimento dos adversários e empilhou bons resultados até a grande final, contra a Itália, que também sofreu nos pés de Pelé, Jairzinho e companhia. Após um placar de 4 a 1, com gols marcados por Pelé, Gerson, Jairzinho e Carlos Alberto Torres, o Brasil levantou sua terceira Copa e se despediu dos mundiais.



Pelé comemora o tricampeonato da Seleção Brasileira, em 1970. (Foto: Reprodução)


Um ano depois, no dia 18 de julho de 1971, Pelé se despediu, aos 31 anos, da Seleção Brasileira de Futebol. A partida contra a Ioguslávia, no Maracanã, reuniu 138.575 torcedores. 

Aposentadoria

Ainda no ano de 1977, Pelé se despediu da vida profissional de jogador de futebol. Na época, foi organizada uma partida festiva entre o New York Cosmos e o Santos, times que o Rei defendeu durante a carreira. Ao todo, Pelé marcou 1281 gols, e se consagrou como o maior artilheiro da história do futebol mundial.

Bolas de Ouro

Em 2015, a France Football revisou a lista de melhores jogadores do mundo e premiou o Rei Pelé com sete bolas de ouro, que equivalem ao prémio de Melhor Jogador do Mundo dos anos de 1958, 1959, 1960, 1961, 1963, 1964 e 1970.

Foto Destaque: Pelé em ação pela Seleção Brasileira -  Reprodução/Internet

Deixe um comentário

Lorena Bueri CEO, Lorena Bueri, madrinha perola negra lorena bueri, lorena power couple, lorena bueri paparazzi, Lorena R7, Lorena Bueri Revista Sexy, Lorena A Fazenda, Lorena afazenda, lorena bueri sensual, lorena gata do paulistão, lorena bueri gata do paulistão, lorena sexy, diego cristo, diego a fazenda, diego cristo afazendo