Notícias

Moraes determina que procuradoria eleitoral analise ataque a jornalista Vera Magalhães

Presidente do STE mencionou em sua decisão a ‘gravidade do ocorrido’. A jornalista foi hostilizada pelo parlamentar Douglas Garcia no fim de um debate eleitoral.

3 min de leitura
15 Set 2022 - 10h14 | Atualizado em 15 Set 2022 - 10h14

O ministro Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou nesta quarta-feira (14), que o ataque do deputado estadual bolsonarista Douglas Garcia (Republicanos) à jornalista Vera Magalhães seja analisada pela procuradoria-regional eleitoral de São Paulo.

“Considerada a gravidade do ocorrido, determino o encaminhamento do referido link da matéria ao Excelentíssimo Senhor Vice-Procurador-Geral Eleitoral para que possa dar o devido encaminhamento ao Procurador Regional Eleitoral de São Paulo, com o objetivo de ser analisada eventuais providências que entender necessárias”, disse Moraes.


A jornalista Vera Magalhães, apresentadora do programa Roda Viva, na TV Cultura. (Reprodução: TV Cultura)


O episódio do ataque a jornalista Vera Magalhães, ocorreu ao final do debate da TV Cultura entre candidatos ao governo do estado de São Paulo, na madrugada desta quarta-feira (14). A jornalista é colunista do “O Globo”, comentarista da rádio CBN e apresentadora do programa Roda Viva, na TV Cultura.

Ela estava na área reservada para jornalista quando foi abordada pelo deputado estadual, que foi convidado ao debate pelo candidato ao governo de SP, Tarcísio de Freitas (Republicanos). Portando um celular, Douglas Garcia se aproximou de Vera e disse que ela é “uma vergonha para o jornalismo brasileiro” e a intimida. A frase é a mesma usada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) contra a jornalista durante o debate da Band entre candidatos à Presidência.

Conforme vídeos que circulam pela internet, Garcia também questiona Vera Magahães sobre ela ter assinado um contrato de meio milhão de reais para falar mal do presidente Bolsonaro. Na verdade, esse valor se refere ao contrato anual da jornalista com a TV Cultura.

Após os insultos, Vera chama a segurança e o bate boca permaneceu até que o diretor de jornalismo da Cultura e âncora do debate, Leão Serva, toma o celular de Garcia e o arremessa. O deputado estadual tem direito a foro privilegiado por prerrogativa de função e só pode ser processado criminalmente pelo procurador-geral.

Vera Magalhães disse, em entrevista à GloboNews, que o parlamentar agiu “deliberada e premeditadamente”. O Conselho de Ética da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), irá apurar a conduta do parlamentar. A Alesp já recebeu seis pedidos de cassação contra Garcia.

Foto destaque: Alexandre de Morais presidente do TSE pede análise do ataque a jornalista Vera Magalhães. Reprodução/TSE

Deixe um comentário

Lorena Bueri CEO, Lorena Bueri, madrinha perola negra lorena bueri, lorena power couple, lorena bueri paparazzi, Lorena R7, Lorena Bueri Revista Sexy, Lorena A Fazenda, Lorena afazenda, lorena bueri sensual, lorena gata do paulistão, lorena bueri gata do paulistão, lorena sexy, diego cristo, diego a fazenda, diego cristo afazendo