Moda

Looks em 3D: Conheça a nova tendência do mercado da moda digital

A ideia dos looks 3D que a princípio foi criada para marcas emergentes, se tornou interesse das grifes depois do grande sucesso.

3 min de leitura
05 Out 2021 - 20h00 | Atulizado em 05 Out 2021 - 20h00

A ideia consiste em criar looks em 3D. Algumas plataformas já aderiram a nova ideia, como o Facebook, Snapchat e Shopify. Além de ter uma pegada sustentável, a Farfetch foi uma das primeiras grandes varejistas a testar a “amostragem digital” e promover a nova ferramenta de pré-encomenda entre influenciadores. A Farfetch escolheu a plataforma de moda digital DressX para digitalizar as roupas e o criador 3D Threedium para os acessórios.

 

Lançamento: Puma x Neymar Jr

Conheça Hélio Albuquerque, o personal shopper mais seguido do mundo e queridinho dos famosos

Confira as apostas de tendências da Paris Fashion Week

 

Criada pela agência Virtue, a ideia que foi lançada em 2019 é super econômica para as marcas, porém não agrada tanto aos influenciadores. Afinal, usando a ferramenta eles não recebem os produtos físicos e não podem avaliar o produto pessoalmente.


Foto sem a peça virtual (Foto: reprodução/instagram/@q2han)

 

Foto sem a peça virtual (Foto: reprodução/instagram/@q2han)


A diretora sênior de inovação de produtos da Farfetch, Carol Hilsum, comentou que: “Sem esse elemento da moda digital, estaríamos enviando as peças físicas para fotografar. Quando você está tentando “vender” a ideia de pré-encomenda, na qual a disponibilidade de peças é limitada, é normal que exista uma escassez de looks. Sem as opções digitais, poderia não ter sido viável montarmos essa estratégia de lancamento”.


 

Foto sem a roupa digital (Foto: reprodução/instagram/@q2han)

 

Foto com a roupa digital (Foto:reprodução/instagram/@q2han)


O cofundador e CEO da Platform E,Gonçalo Cruz, disse: “Os influenciadores ainda são bastante resistentes.O que se vê é um trabalho mais criativo impulsionado pelas agências. Não tenho dúvidas de que fazer a inserção digital de produtos dentro de conteúdos é melhor porque há menos logística e envolvimento humano. E o 3D atingiu maturidade suficiente para tal”.

 

 

 

Foto destaque: foto divulgação DressX (reprodução/instagram/@dressx)

Deixe um comentário