Lista da Lorena Especial de Halloween te convida a entrar nas Casas mais assustadoras do cinema

Publicado 30 de Oct de 2020 às 21:13

Se você achou que a nossa lista para essa semana tinha terminado, prepare-se para levar muito susto nessa noite de Dia das Bruxas. Não revisitamos os clássicos. Não nos importamos com os mais aclamados. Tentamos trazer dessa vez aquelas mansões que você não aguentaria ficar nem por 1 minuto sequer. As Casas mais horripilantes e assustadoras que o universo do terror já nos apresentaram, você pode conferir (se tiver coragem) nessa lista dessa noite.

Sempre cheia de muito luxo, bom gosto, pessoas bem vestidas e paredes que falam... Espera aí! Paredes que falam? Claro! Não só falam, mas algumas até mudam de lugar. Sabe aquela mansão afastada da cidade, tranquila, num lugar lindo, cheio de jardim que você escolheu para passar o fim de semana? Então... aguarde... Ela não parece ser o que se mostra.

Leia mais: Lista da Lorena comemora a Semana do Dia das Bruxas com diversos filmes de terror 

 

1. Apresentamos a você a Mansão Sharpe

Mansão Sharpe de "A Colina Escarlate" de Guillermo Del Toro. (Reprodução/Universal Pictures)


A Colina Escarlate (2015), por incrível que pareça, teve apenas 70 milhões de gastos em seu orçamento. O mais interessante ainda é que a casa usada no longa foi construída especificamente para o filme. Dirigido por Guillermo Del Toro, incrivelmente produzida com seus temas escuros, góticos, cores frias e de ambiente silencioso nos colocam dentro da cena. Isso porque o filme em si já nos assombra, ao nos inserir nessa trama, o medo é triplicado.

Mansão Sharpe é da família Sharpe herdada para Thomas e Lucille Sharpe (Tom Hiddleston e Jessica Chastain). As sequências de sustos e de gritos que os corredores da casa nos proporcionam é um show que só Del Toro sabe nos provocar. Sombras, poltergeist, mortes do passado tentam tomar de volta a casa. A casa é situada no alto de uma colina. Escarlate vem de uma “gosma” vermelha extraída do subsolo da mansão.

Para dar sequência ao enredo, Sir Tomas viaja aos Estados Unidos em busca de uma máquina capaz de extrair a gosma do subsolo. Nessa ida, Tomas conhece a escritora Edith Cushing. Edith se interessa por Thomas e retorna com ele para a mansão e se casa. Com a história macabra e de espíritos de outro mundo, não demora muito e a casa começa a recusar a presença de Edith no lar.

 

2. Mansão Winchester

Mansão Winchester em "A Maldição da Casa Winchester" dos irmãos Spierig. (Reprodução/Paris Filmes)


2018, a dupla dos irmãos diretores Michael e Peter Spierig trouxeram a arquitetura deslumbrante dos Estados Unidos: a mansão Winchester. A Maldição da Casa Winchester trabalha o terror com um elemento escondido e pouco explorado: a psiquiatria. Mas, o fato de não explorar esse campo não desmereceu a trama. O psiquiatra Eric Price (Jason Clarke) é contratado para avaliar a sanidade mental de Sarah Winchester (Helen Mirren).

A senhora Winchester, viúva, controla a mansão. Recentemente perde o marido e o filho e seu luto, segundo os familiares, a desestrutura. Chamada de louca, de ver coisas onde não tem, Price tem a missão de apresentar a receita de seu estado mental. Para os poucos entendedores, a história é baseada em fatos reais. A casa dos Winchesters existe.

O terror “das casas assombradas” perde um pouco com esse longa, por explorar mais os sustos que a história. Doutor Price é convidado a ficar alguns dias na casa afim de avaliar a senhora Winchester. Durante sua estadia, Price presencia coisas que fogem de sua capacidade científica. Outra coisa curiosa que o doutor Price percebe é que a casa está em constante construção. Suas obras nunca terminam, e toda uma ala da casa é inabitada e proibida por todos a entrar nela. A Casa Winchester entra na nossa lista pelos sustos que nos fazem gritar e pular do sofá.

 

3. Residência Hill

Mike Flanagam inova o gênero terror em minissérie. (Reprodução/Netflix)


Produzida para a Netflix, a série (minissérie) de 10 episódios, Mike Flanagam nos entrega uma história completa, fechada e bem contada. A Maldição da Residência Hill faz parte de uma antologia de escritos que Flanagam adapta perfeitamente para o projeto. Longe de nos causar medo e terror, a Residência Hill nos provoca ansiedade, curiosidade e nos prende à trama. A série toda possui apenas quatro planos sequências. E os flashbacks são perfeitamente concatenados à história de cada personagem.

A Maldição da Residência Hill apresenta a família Crane que decide passar um tempo na casa de férias. Os filhos Eleanor Crane (Victoria Pedretti), Luke (Oliver Jackson-Cohen), Olivia (Carla Gugino), Steven (Michiel Huisman) e Theodora (Mckenna Grace) ainda crianças residem na casa. Por conta de alguns eventos estranhos e assustadores, num dia trágico em que a senhora Crane morre (ou suicida) sem explicações, o pai Hugh Crane (Henry Thomas) tira os filhos dali, sem nenhuma explicação. Anos após a “moça do pescoço torto” volta a atormentar a jovem Eleanor, que retorna à casa e “desaparece”, depois é encontrada, como a mãe, morta.

Inconformados, os irmãos e o pai, depois de anos, reúnem-se no velório de Eleanor. A cena torna-se palco onde todos começam a “lavar roupa suja”. Quando percebem que a casa é a chave para todo os “sintomas” sobrenaturais que acontece com eles, eles retornam para a casa, abandonada desde o ocorrido e ainda tentam salvar a vida de mais um irmão. Os 10 episódios são fáceis e rápidos de se maratonar.

 

4. Não uma casa, mas o porão dos Warren

Porão dos Warren sendo explorado em "Annabelle 3: De volta para Casa". (Reprodução/Warner Bros Pictures)


Que a franquia de todo o universo de Invocação do Mal é a mais aplaudida do gênero terror isso é inegociável. A maestria e inteligência de se construir um universo tão diabólico e assustador assim é algo inigualável. Desde que surgiu Invocação do Mal (2013) suas sequências vieram logo para confirmar que a história estava muito longe de acabar. Já logo em 2016 veio o 2 e o 3 está apavorante para 2021 como Invocação do Mal e a Ordem do Demônio.

Não só os casos do casal Ed e Lorraine Warren (Patrick Wilson e Vera Farmiga) são algo super bem explorados, mas os derivados que vão construindo o universo. A franquia vem pra nos mostrar que quem manda na histórias são os monstros e fantasmas e demônios. Alias, somos possuídos e não possuidores. Já que eles é que nos possuem, logo, são eles que mandam na história. E assim foi feito: o demônio Valak veio para contar a história da Freira (2018), a mulher de branco nos contou que ela era uma apaixonada que perdeu os filhos e por isso chora assombrando outras famílias em A Maldição da Chorona (2019).

E, claro, não podíamos deixar de mencionar aquela que é o grande sucesso dessa franquia: Annabelle (2014); Annabelle 2: A Origem do Mal (2017) e o que nos interessa nessa lista, Annabelle 3: De Volta para Casa (2019). Durante todos os filmes focados nos casos dos Warren, ficávamos muito ansiosos para ver mais de perto o quarto (porão) em que seus objetos demoníacos e possuídos eram guardados (escondidos). E, claro, no último filme da trilogia da boneca mais perversa desse universo, saciamos essa curiosidade de ver “tudo o que está possuído”. Prepare-se, porque se você aguentou essa lista até aqui, agora, podemos te assustar de verdade e te fazer desistir.

 

5. Por fim, a Mansão Bly

"A Maldição da Mansão Bly": mais uma minissérie de Flanagam. (Reprodução/Netflix)


Estamos de volta com Flanagam. Dessa vez ele nos apresenta a Mansão Bly. Sua nova minissérie A Maldição da Mansão Bly (2020), traz em mais 10 episódios uma mansão luxuosa e até acolhedora em que os atores nos presenteiam com um espetáculo de boas atuações e uma história cheia de dramas familiares que nos tiram o ar.

Victoria Pedretti retorna ao elenco, agora como uma babá/governanta Danielle, sempre referenciada pela carinhosa jardineira Jamie (Amelia Eve) como Poppins, referente à personagem infantil. A história repete o elenco da série anterior, mas não a técnica. Flanagam não poderia cair nesse equívoco. Mesmo cheio de flasbacks, Mansão Bly nos segura dessa vez para entender o que cada um fez em seu passado. Um fantasma assustados que aterroriza os espelhos de todo lugar precisa ter uma explicação.

Por fim, Flanagam nos entrega um final que nos faz até chorar. Sim! Se você nunca chorou assistindo um terror, Residência Hill e Mansão Bly vai te fazer chorar copiosamente por você ter torcido e ter se afeiçoado demais pelos personagens e queriam um final melhor para eles.

A Lista da Lorena se despede por aqui. Mas em breve traremos novas histórias para vocês maratonar. E tenham um bom Dia das Bruxas!

 

 

 (Foto destaque: "A Colina Escarlate". Reprodução/Universal Pictures)

Deixe um comentário