Esportes

Justiça do Rio proíbe Rogério Caboclo de ir a CBF e de falar com sete pessoas ligadas à confederação

O afastado presidente da CBF, Rogério Caboclo, está proibido pela Justiça de entrar na sede da entidade e de manter contato com sete pessoas ligadas à confederação, entre elas a funcionária que o acusou de assédio moral e sexual.

3 min de leitura
05 Ago 2021 - 21h16 | Atulizado em 05 Ago 2021 - 21h16

O afastado presidente da CBF, Rogério Caboclo, está proibido pela Justiça de entrar na sede da entidade e de manter contato com sete pessoas ligadas à confederação, entre elas a funcionária que o acusou de assédio moral e sexual. A defesa de Caboclo informou que não comenta o caso por estar em sigilo. A medida foi tomada ao longo da investigação, pois o Ministério Público apurou que tanto a funcionária quanto testemunhas do caso se sentiram perseguidas ou ameaçadas pelo presidente.

 

Essa decisão da Justiça é cautelar, ou seja, ainda não considera a aptidão das acusações, mas entende, pelos depoimentos e provas apresentadas, que há indícios suficientes para a abertura de investigação e necessidade de proteção da vítima, assim como a necessidade de Rogério Caboclo manter distância da CBF.

 

A medida cautelar é válida até o dia 26 de agosto, data que foi marcada a primeira audiência sobre o caso. Este vai ser o primeiro encontro entre Rogério Caboclo e a funcionária que o acusou de assédio, desde que ela pediu licença médica no dia 09 de Abril. 



Rogério Cabloco, presidente afastado da CBF. (Foto: Wilton Junior/ Estadão Conteúdo)


No dia 04 de junho, a funcionária apresentou uma denúncia à comissão de Ética da CBF, dois dias depois Caboclo foi afastado do cargo por 30 dias, e o afastamento foi renovado por mais 60 dias no dia 03 de Julho. O caso estourou uma das maiores crises da história da CBF, o até então presidente Rogério Caboclo passou a discutir publicamente com o ex-presidente da entidade, Marco Polo Del Nero, que é seu padrinho político e o acusa de liderar um complô para afastá-lo da presidência. 

 

A entidade chegou a sofrer uma intervenção judicial, que foi suspensa por uma decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Desde o afastamento de Caboclo, a CBF está sob a presidência interina de Antonio Carlos Nunes, que é o mais velho dos oito vice-presidentes.

 

https://lorena.r7.com/post/Vasco-perde-para-o-Sao-Paulo-e-e-eliminado-da-Copa-do-Brasil 
https://lorena.r7.com/post/Bomba-Lionel-Messi-nao-e-mais-jogador-do-Barcelona
https://lorena.r7.com/post/Medalhista-de-prata-desafiou-proibicao-do-Comite-Olimpico-Internacional

 


(Foto de destaque: Presidente afastado da CBF, Rogério Caboclo. Reprodução/Lucas Figueiredo)

Deixe um comentário