Saúde

Isolamento de pessoas infectadas por Covid-19 pode ter a duração de 5 dias

Segundo o ministro da saúde, Marcelo Queiroga, o tempo de isolamento da doença pode ser reduzido para pacientes assintomáticos. Até o momento, o período de quarentena é de 10 dias.

3 min de leitura
07 Jan 2022 - 11h30 | Atualizado em 07 Jan 2022 - 11h30

Nesta sexta-feira (07), em pronunciamento dado à imprensa, o ministro da saúde, Marcelo Queiroga, disse que, possivelmente, o tempo de isolamento para pacientes que testam positivos e são assintomáticos, será reduzido de dez para cinco dias.

Como justificativa para a redução, Queiroga diz: “está sendo adotada em outros países e tem acento em evidências científicas. É possível que adotemos essa mesma conduta. Isso está em estudo na área técnica, na Secretaria de Vigilância e Saúde, e hoje tenho reunião com os secretários para tratar desse tema”.



Ao longo da declaração, Queiroga ainda revela que o Ministério da Saúde cumpre as orientações que estão sendo adotadas em outros países. “O CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos) já deu essa recomendação. O governo francês já deu essa autorização aos profissionais de saúde que estão positivos em atender na linha de frente por conta do número de casos”, afirma.

O Ministério pretende atuar também no aumento da testagem. “É necessário fazer a testagem para identificar o aumento no número de casos e fazer o isolamento das pessoas que estão positivas, não é só testar por testar”, apontou Queiroga.

No seu pronunciamento, o ministro afirma que os estados e municípios devem colaborar e empregar parte dos orçamentos no combate ao crescimento dos casos de Covid-19 no país, assim como para o aumento da disseminação do H1N1 e suas variantes.

“O SUS é tripartite, e estados e municípios também devem alocar parte dos seus orçamentos para enfrentamento da pandemia de covid-19. Não é só o tempo inteiro cobrar do ministério da saúde e lá na ponta adotar medidas de acordo com a sua ideia”, analisa Queiroga.

A expectativa é que, no próximo mês, o governo tenha informações mais detalhadas e seguras sobre os perigos relacionados à nova variante Ômicron. “Vamos esperar mais três ou quatro semanas para se ter uma ideia mais definitiva com relação ao potencial de letalidade”, diz o ministro.

Ademais, para Queiroga, a região norte deve ser mais ativa e priorizar mais as ações de combate ao crescimento do Coronavírus e Influenza, por conta das dificuldades estruturais do local. “O que nos preocupa mais é a região norte, porque as coberturas vacinais são cronicamente mais baixas, e porque o sistema de saúde é mais frágil”, disse.

Sobre o perigo do aumento de contágios no período de carnaval e também em relação ao cancelamento do evento em várias cidades pelo Brasil, Queiroga afirma que “o Ministério nunca estimulou” a execução dos eventos de maior porte durante a pandemia.

 

Foto destaque: Pessoa olhando para janela. Reprodução/Two Dreamers/Pexels

Deixe um comentário

Lorena Bueri CEO, Lorena Bueri, madrinha perola negra lorena bueri, lorena power couple, lorena bueri paparazzi, Lorena R7, Lorena Bueri Revista Sexy, Lorena A Fazenda, Lorena afazenda, lorena bueri sensual, lorena gata do paulistão, lorena bueri gata do paulistão, lorena sexy, diego cristo, diego a fazenda, diego cristo afazendo