Notícias

Inquérito Sobre morte das girafas importadas ao Brasil segue em aberto

3 min de leitura
19 Ago 2022 - 22h16 | Atualizado em 19 Ago 2022 - 22h16

Em novembro de 2021 18 girafas chegaram ao Brasil, originárias da África do Sul, permanecendo presas em um Hotel Resort Safari Portobello pertencente ao Grupo Cataratas, em Mangaratiba (RJ). 6 desses animais fugiram do cercado e 3 morreram após a fuga, causando indagações sobre as condições de cativeiro em que viviam. O Ministério Público abriu inquérito para investigar se ocorriam maus tratos, e se o espaço reservado a eles era adequado.

Foi emitida uma ordem judicial para transferência das girafas para um local mais adequado, no entanto o documento foi suspenso.

A importação dos animais foi autorizada pelo órgão competente, o IBAMA, no entanto a área reservada para eles não era ideal, pois o espaço era muito limitado e eles viviam em liberdade antes de serem trazidos ao Brasil. Após notificações e multas aplicadas, o local foi adequado para abrigá-los, mas investigações apontavam haver substâncias que indicavam estresse extremo nos animais que morreram.

Ambientalistas estão preocupados com as girafas, que deveriam ser removidas para áreas de natureza considerados mais adequados. A permanência deles em locais inapropriados pode contribuir para mais mortes.

Investigações realizadas pelo MPF mostraram que as ‘gigantes’ estão sendo bem cuidadas, sem indícios de maus tratos, e elas devem permanecer sob os cuidados dos réus até sua remoção para um santuário brasileiro, uma vez que é inviável o retorno delas ao seu local de origem. Uma investigação em curso visa a anulação de importação de animais silvestres exóticos pelo parque, mas deveria servir não só para ele como para todo o território nacional.

Retirar animais de seu habitat natural para exposição, exibição a turistas deveria ser crime, pois os prejuízos para os bichos são enormes. Não tem como reverter o óbito dessas 3 girafas, que nada fizeram para o ser humano, e foram submetidas a condições deploráveis, obrigadas a viver em baias muito pequenas,

A Polícia Federal ainda realiza inquérito para apuração dos fatos afim de responsabilizar todos os envolvidos.

Foto: reprodução petição Ampara Silvestre

 

Deixe um comentário

Lorena Bueri CEO, Lorena Bueri, madrinha perola negra lorena bueri, lorena power couple, lorena bueri paparazzi, Lorena R7, Lorena Bueri Revista Sexy, Lorena A Fazenda, Lorena afazenda, lorena bueri sensual, lorena gata do paulistão, lorena bueri gata do paulistão, lorena sexy, diego cristo, diego a fazenda, diego cristo afazendo