Saúde

Fiocruz investiga casos de síndrome respiratória no Brasil

O boletim do InfoGripe enfatiza que em 2022 os maiores casos são referentes aos pacientes que foram infectados pelo vírus da covid-19. Fiocruz ressalta sobre o cenário ser preocupante para o Brasil.

3 min de leitura
07 Jul 2022 - 12h07 | Atualizado em 07 Jul 2022 - 12h07

Nesta quarta-feira (6) a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) anunciou os novos dados do boletim infoGripe e analisou que o Brasil voltou a registrar aumento nas taxas da síndrome respiratória aguda grave (SRAG). As pesquisas mostram as tendências de longo prazo e nas últimas seis semanas esse cenário.


 

Pesquisadoras da Fiocruz (Forto: Reprodução/Instagram)



As pesquisas da Fiocruz indicam que a maior parte das ocorrências estão associadas ao caso da pandemia do coronavírus, principalmente entre a população adulta. De acordo com os estudos realizados, entre 26 de junho e 2 de julho, as regiões brasileiras que foram mais afetadas foram no Norte e no Nordeste. Nos dois locais os casos foram analisados e o crescimento foi observado de forma antecipada em comparação com o sudeste, centro-oeste, e o sul.


Os pesquisadores enfatizam que apesar da subida dos percentuais, em alguns locais indicam possíveis interrupções no crescimento de casos no Brasil, principalmente no Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo. O coordenador da InfoGripe, Marcelo Gomes, destaca que é um cenário para chamar a atenção. “Essa situação ainda está sem sinais claros de inversão para queda”, pondera. “No Paraná e no Rio Grande do Sul, por exemplo, observa-se tendência de retomada do crescimento em crianças enfatizando que o cenário atual ainda é instável e exige muito cuidado”.
 
Nas avaliações, os pesquisadores alertaram sobre a tendência de aumento a longo prazo em 27 unidades federadas do Brasil. Apenas no Espírito Santo, Rio Grande Do Sul, Mato Grosso do Sul, Rondônia, São Paulo e Sergipe.
 
As capitais no ano de 2022 27 apresentaram sinais de crescimento no mesmo período. Belém (PA), Porto Alegre (RS), Recife (PE), São Paulo (SP), Porto Velho(RO), Goiânia (GO), Vitória(ES), como também Campo Grande(MS), mas não mantiveram avanço do número do vírus da covid-19 a longo prazo.

Foto destaque: Fundação Oswaldo Cruz. Reprodução/ Instagram

 

Deixe um comentário

Lorena Bueri CEO, Lorena Bueri, madrinha perola negra lorena bueri, lorena power couple, lorena bueri paparazzi, Lorena R7, Lorena Bueri Revista Sexy, Lorena A Fazenda, Lorena afazenda, lorena bueri sensual, lorena gata do paulistão, lorena bueri gata do paulistão, lorena sexy, diego cristo, diego a fazenda, diego cristo afazendo