Celebridades

Felipe Neto cria projeto para defender processados pelo governo contra a liberdade de expressão

Felipe Neto lançou um projeto chamado "Cala a Boca Já Morreu", onde oferece ajuda jurídica de graça para aqueles que forem alvo das autoridades contra a liberdade de expressão.

3 min de leitura
19 Mar 2021 - 16h00 | Atulizado em 19 Mar 2021 - 16h00

Nessa quinta-feira (18), o youtuber Felipe Neto lançou um projeto chamado "Cala Boca Já Morreu", onde oferece ajuda jurídica de graça para aqueles que forem alvo das autoridades contra a liberdade de expressão. De acordo com o empresário, todas as pessoas que se sentirem ameaçadas vão poder contar com o auxílio gratuito de advogados ligados ao projeto.

"Em função dessa perseguição contra a sociedade civil, nós criamos o movimento 'Cala a Boca Já Morreu'. É um movimento da sociedade civil para tentar coibir esse tipo de autoritarismo. Toda pessoa que for alvo de abuso de autoridade contra a liberdade de expressão será defendida por esse grupo", disse Felipe Neto à Globo News.

Carlos Bolsonaro abre queixa-crime contra Felipe Neto e Bruna Marquezine

Felipe Neto aparece jogando futebol e é criticado

Felipe Neto bate recorde de audiência com live e alcança ibope de grandes emissoras

Felipe também diz que os advogados já estão em contato com os cinco homens presos nessa quinta-feira (18) em Brasília enquanto estendiam faixas de protesto contra o presidente Jair Bolsonaro, na Praça dos Três Poderes. "O grupo foi detido sob a acusação de infringir a Lei de Segurança Nacional ao divulgar a cruz suástica associando o símbolo ao presidente da República", comunicou a PM do Destrito Federal. Na faixa, chamava o presidente Jair Bolsonaro de genocida.


Felipe Neto cria movimento "Cala Boca Já Morreu" (Vídeo: Reprodução/YouTube/Instagram/Twitter)


Felipe Neto também foi processado de crime contra a segurança nacional, após chamar o presidente de 'genocida'. Na segunda-feira (15), o youtuber foi intimado a prestar depoimento na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), da Polícia Civil. Em entrevista à BBC News Brasil, Felipe conta que a queixa-crime é parte de um perseguição absoluta da qual ele é alvo desde o primeiro dia de governo. 

Na manhã de quinta-feira (18), uma liminar da Justiça do Rio suspendeu a investigação da DRCI contra Felipe Neto. "Eu sempre confiei nas instituições e essa decisão só confirma que ainda vivemos em uma democracia, em que um governante não pode, de forma totalmente ilegal, usar a polícia para coagir quem o critica", disse o empresário.

(Foto Destaque: Felipe Neto. Reprodução/Instagram)

Deixe um comentário