Notícias

Confira o que aconteceu no último debate presidencial das eleições de 2022

Jair Messias Bolsonaro e Luiz Inácio Lula da Silva se encontram na TV Globo para debaterem e exporem suas propostas pela última vez antes das eleições, que irão acontecer neste domingo (30).

3 min de leitura
28 Out 2022 - 21h30 | Atualizado em 28 Out 2022 - 21h30

Aconteceu hoje, sexta-feira (28), o último debate presidencial das eleições de 2022. Os candidatos Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Messias Bolsonaro se encontraram hoje na TV Globo para discutirem qual suas respectivas propostas para o futuro do país. A dinâmica foi dividida em cinco blocos: dois para pautas livres, em que os candidatos receberam 15 minutos cada para usarem da forma que bem entenderem, com perguntas, réplicas e tréplicas. Outros dois para pautas pré determinadas, e o último para as considerações finais. O programa foi apresentado pelo jornalista William Bonner e começou as 21h30. Confira a chegada dos candidatos:


(Vídeo/Reprodução: Instagram)


E a chegada de Jair Messias Bolsonaro:


(Vídeo/Reprodução: Instagram)


Durante o primeiro bloco do evento, que foi destinado aos candidatos para que debatessem temas livres, o candidato à reeleição e atual presidente da república Jair Bolsonaro abriu a rodada questionando seu rival sobre seu argumento em acontecimentos anteriores, de que ele tiraria o décimo terceiro, as férias e as horas extras dos trabalhadores, pedindo para que ele afirmasse novamente se ele ainda achava que isso iria ocorrer no governo Bolsonaro. Lula, por sua vez, não o respondeu sobre o assunto, mesmo com o candidato insistindo na pergunta por toda a primeira rodada do debate. Luiz Inácio, em sua vez de fala, questionou o presidente sobre suas falas mentirosas ao decorrer dos últimos quatro anos de mandato. Por ter sido chamado de mentiroso, ele fala que possui idoneidade e que foi inocentado, vencendo diversos processos.


(Imagem/Reprodução: Twitter)


No segundo bloco, em que as pautas foram pré selecionadas, Lula escolheu o tema combate à pobreza e questionou Bolsonaro sobre quando o problema da fome no Brasil seria solucionado, tendo em vista que o salário mínimo quase não cresceu e a merenda nas escolas públicas possui um orçamento baixíssimo, além de defender o Bolsa Família criado pelo seu governo. Bolsonaro responde as acusações de Lula dizendo que o país está indo muito bem, principalmente após a implementação do auxílio Brasil que garante ao cidadão 20 reais por dia para ajudar nas contas e na alimentação, e cita dados do IPEA de que quem recebe acima de 10 reais por dia está acima da linha de pobreza. Lula o questiona sobre o porquê de a aposentadoria não ter aumentado e aproveita a oportunidade para responder a pergunta do primeiro bloco, alegando que quem disse que iriam retirar o décimo terceiro, férias e horas extras foi o Paulo Guedes, seu ministro da economia. Além disso, o questiona sobre o pagamento dos benefícios das pessoas portadoras de deficiências, que está atrasado.

Na segunda parte do mesmo bloco, o Bolsonaro escolhe o tema respeito à constituição como pauta e Lula o responde com uma outra pergunta sobre o apoio de Jair Bolsonaro para o fechamento do Superior Tribunal Federal. Bolsonaro se defende e fala sobre o recente caso de censura do canal Jovem Pan e fala sobre a liberdade de expressão, a qual o candidato Lula sempre prezou. Lula o responde com a fala: “A Jovem Pan é aquele seu canal de televisão?”, fazendo referência as grandes menções que o canal fazia ao presidente, como uma forma de campanha política, que foi o alegado no pedido do partido de Lula para que parasse de chama-lo de “descondenado”. Bolsonaro acusa Lula de invadir terras e ambos iniciam uma discussão sobre a legalização do aborto e das drogas, e o presidente exclama: "Lula, você é um abortista".

No terceiro bloco, a dinâmica foi a mesma da primeira rodada do debate, com 15 minutos para que eles pudessem debater pautas que eram de seu interesse. Lula abriu a discussão perguntando para Bolsonaro por que ele não resolveu as questões de saúde pública necessárias com mais rapidez durante a pandemia, como a compra de vacinas e o porquê dele ter cortado 33% da verba que iria para a fármacia popular, além de relembrar os casos de deboche do presidente com as vítimas da covid, imitando-os com falta de ar. Bolsonaro tenta se defender falando que se seu candidato havia tomado vacina, que era para agradece-lo, mas Luiz Inácio rebate alegando que seu rival estava tentando pagar de bom moço, mesmo depois de ter desmotivado tanto a compra quanto o uso da vacina e propagado a ingestão de cloroquina, um remédio sem eficácia comprovada contra a covid-19.


(Vídeo/Reprodução: Twitter)


Bolsonaro continua o bloco argumentando que o governo do PT não investiu em hospitais e no ano de 2014 deu preferência a construção de estádios de futebol para a realização da copa no país, além de terem fechado diversos leitos, sendo metade deles na ala da pediatria. Lula, em resposta a acusação de Bolsonaro, cita feitos de seu governo e alega que o presidente comprou 35 mil caixas de viagra para o exército. Bolsonaro responde seu candidato rival e fala que esse medicamento foi comprado para tratamentos de doenças na próstata e comenta do seu novo programa, o ConectSus, que trará a possibilidade de atendimento remoto para todo cidadão.


(Imagem/Reprodução: Twitter)


Em continuação ao bloco, o atual presidente acusa Lula de querer soltar presos provisórios e liberar o uso de drogas no país, além de falar que ele foi se encontrar com chefes do narcotráfico no complexo do alemão. Lula rebate e fala que sempre foi a favor do desarmamento e que sempre pregou isso, pois acredita que o país só irá se reconstruir se as pessoas tiverem acesso a cultura com livros, pois armas não fazem o bem, elas matam. Bolsonaro comenta que em seu mandato a segurança e a taxa de homicídios por arma de fogo diminuiu. Lula, não esquecendo a pauta sobre segurança, pergunta por que Bolsonaro cortou verbas para os programas que combatem a violência contra a mulher.


(Imagem/Reprodução: Twitter)


O quarto bloco foi administrado da mesma forma que o segundo, abordando discussões de assuntos que foram pré determinados pela produção da Globo. Os temas escolhidos dessa vez foram a criação de empregos e o meio ambiente. Na primeira discussão, Bolsonaro pede que o presidente o parabenize pela criação de empregos, e Lula fala que na época dele, criação de empregos era carteira assinada, e não os empregos informais que eles estavam contabilizando também. Já falando de meio ambiente, desmatamento e e energia renovável foram os principais pontos tocados pelos candidatos. Bolsonaro insiste na pauta do primeiro debate, de falar que o desmatamento em seu governo foi bem menor do que no governo do PT, o que não é verídico.

Segundo a BBC, desde o governo de Collor, Bolsonaro é o presidente com maior taxa de desmatamento em seu mandato. Quando o atual presidente comenta que o Brasil vai ser referência em exportação de energia limpa, o ex-presidente e candidato Lula fala que seu rival está se esquecendo que quem iniciou esse projeto foi o governo do PT, com a implantação de diversos leilões de energia renovável. No final do bloco, o presidente puxa a pauta de saneamento e fala que irá reindustrilizar o nordeste. 

No bloco seguinte, o quinto e último do evento promovido pela TV Globo e afiliadas, foi o momento de cada candidato fazer suas considerações finais e falar com a população antes das eleições, que irá ocorrer nesse domingo (30). Confira as considerações finais de cada candidato:

Luiz Inácio Lula da Silva:


(Vídeo/Reprodução: YouTube)


Jair Messias Bolsonaro:


(Vídeo/Reprodução: YouTube)


A preparação dos candidatos foi baseada em ataques à corrupção, economia, problemas reais da sociedade e saúde pública. Vale salientar que nem sempre o que é falado nos debates possuem veracidade dos fatos.

A apuração da votação irá se iniciar as 17h do dia 30 de outubro, logo após o fechamento das urnas, e assim, virá a conhecimento público quem irá comandar o Brasil nos próximos 4 anos. Acompanhe as mais variadas notícias aqui no portal Lorena R7.

 

Foto Destaque: Lula e Bolsonaro. Imagem/Reprodução: Instagram/@globonews

Deixe um comentário

Lorena Bueri CEO, Lorena Bueri, madrinha perola negra lorena bueri, lorena power couple, lorena bueri paparazzi, Lorena R7, Lorena Bueri Revista Sexy, Lorena A Fazenda, Lorena afazenda, lorena bueri sensual, lorena gata do paulistão, lorena bueri gata do paulistão, lorena sexy, diego cristo, diego a fazenda, diego cristo afazendo