Tech

Carteira digital do Facebook é rejeitada pelo senado estadunidense: 'Não é confiável'

'Novi', carteira digital do Facebook, foi oficialmente anunciada, no entanto, sua eficácia quanto a segurança e seus impactos no mercado financeiro são questionados pelo governo norte-americano.

3 min de leitura
20 Out 2021 - 19h00 | Atualizado em 20 Out 2021 - 19h00

Plataforma 'Navi' de criptomoedas, anunciada pelo Facebook na última terça-feira (19), gerou dúvidas em relação a sua segurança. O chefe de finanças da empresa, David Marcus, descreveu a iniciativa como "pequeno piloto", no entanto, um grupo de legisladores dos Estados Unidos pediu a plataforma que interrompesse o piloto, pois não consideram o Facebook confiável para administrar criptomoedas.

Não é a primeira vez que a empresa demonstra interesse no mercado financeiro. Apesar do lançamento da carteira digital ser recente, o Facebook já possui sua própria criptomoeda, a "diem", porém esta ainda não foi lançada no mercado. Desde essa época, especialistas financeiros e bancos centrais já expressavam preocupações sobre como o lançamento afetaria o mercado, podendo prejudicar a estabilidade financeira, ameaçar a privacidade e o controle sobre a política monetária.


Facebook diz visar facilidade na comunicação financeira entre pessoas de todo o mundo. Reprodução: Anderson Guerra/Pexels


Segundo David Marcus, o objetivo do projeto é contribuir para a inclusão financeira e permitir a troca de dinheiro entre famílias através das fronteiras. Inicialmente, a carteira será posta em prática apenas na Guatemala e Estados Unidos.

Ainda sem o lançamento e regularização da 'Diem', a plataforma contará com a pax dollar (USDP), uma moeda considerada estável que, de acordo com Marcus, tem operado com sucesso nos últimos três anos. Para este primeiro momento, o Facebook fez parceria com a Coinbase, plataforma que permite trocas de bitcoins.

Leia Mais: Snapchat vai monetizar criadores de conteúdo

Leia Mais: Blockchain se torna objeto de estudo em universidades

Leia Mais: 'Apagão' das redes sociais prejudica bilhões de pessoas

A intenção da fase piloto é testar principais funções e recursos, assim como obter feedback dos usuários.

Em rejeição a proposta, um dos senadores do governo estadunidense escreveu uma carta onde afirmou que " Não se pode confiar no Facebook para gerenciar um sistema de pagamento ou moeda digital quando sua capacidade de lidar com riscos e manter a segurança dos seus consumidores já se mostrou totalmente insuficiente".

 

(Foto destaque: Facebook. Reprodução: Luca Sammarco/Pexels)

Deixe um comentário