Notícias

Caco Barcellos flagra compra de votos para Bolsonaro no Profissão Repórter

Profissão Repórter, da TV Globo, flagra suspeita de compra de votos para Bolsonaro em Coronel Sapucaia (MS), cidade que teve empate entre os candidatos no primeiro turno. A Procuradoria Regional Eleitoral investigará a denúncia.

3 min de leitura
02 Nov 2022 - 14h56 | Atualizado em 02 Nov 2022 - 14h56

Na noite da terça-feira (1), o programa Profissão Repórter, da TV Globo, denunciou uma suspeita de assédio eleitoral em uma cidade no interior do Mato Grosso do Sul. Na reportagem, o jornalista Caco Barcellos flagra uma suspeita de compra de votos para o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), às vésperas do segundo turno das eleições presidenciais.

O programa mostrou Caco Barcellos e Chico Bahia indo até Coronel Sapucaia, no Mato Grosso do Sul, cidade fronteira do Brasil com Paraguai. Com o objetivo de fazer um perfil dos eleitores da cidade, já que no primeiro turno das eleições, houve um empate entre os dois candidatos que estavam na disputa, Lula (PT) e Bolsonaro (PL), e acabaram flagrando uma suspeita de assédio eleitoral.



Enquanto andava pela cidade para conversar com os moradores, a dupla viu uma concentração de pessoas em um centro cultural e resolveu se aproximar. As pessoas que estavam na reunião eram beneficiários do Auxílio Brasil, mas foram convocados para o encontro que ninguém queria falar ou sabia dizer o que era.

Ao ver a equipe de TV entrando no local, a assessora da secretária, que estava discursando no momento, veio a seu encontro e foi questionada se a reunião teria a ver com a votação. A resposta hesitante foi que teria que “demonstrar o que o presidente e o governador estão fazendo pelas pessoas”. Logo depois, todas as pessoas que estavam no local, se levantaram para ir embora. Quando Caco tentou entrevistá-las, um homem tentou impedi-lo, o intimidando.

Na reportagem, foi mostrado mesas no local com planilhas com os nomes e dados das pessoas que compareceram na reunião e quando perguntada, não obteve respostas. Caco, ao entrevistar a secretária que estava discursando, só teve respostas curtas e evasivas.

A informação da compra de votos veio de uma senhora que mora ao lado do local onde acontecia a reunião. A mulher revelou que o encontro já estava ocorrendo há três dias e que o prefeito da cidade, Rudi, dá R$ 50 para cada um. Em seguida, o jornalista encontra com o prefeito, Rudi Paetzold, mas que as perguntas também não foram bem recebidas.

No evento em que o prefeito estava, uma moradora da cidade falou sobre a suspeita de assédio eleitoral e que o discurso era feito para as pessoas votarem em Jair Bolsonaro nas eleições para que as melhorias na cidade fossem feitas ainda. Horas depois dessa declaração, uma pessoa da cidade ligou para Caco e disse que estava com uma suposta preocupação, em tom de ameaça e que era perigoso continuar a reportagem na região.

A Procuradoria Regional Eleitoral do Mato Grosso do Sul se pronunciou dizendo que investigará a denúncia.

Foto Destaque: Caco Barcellos tentando abordar uma mulher que estava na reunião e esconde o rosto. (Reprodução/Profissão Repórter/TV Globo)

Deixe um comentário

Lorena Bueri CEO, Lorena Bueri, madrinha perola negra lorena bueri, lorena power couple, lorena bueri paparazzi, Lorena R7, Lorena Bueri Revista Sexy, Lorena A Fazenda, Lorena afazenda, lorena bueri sensual, lorena gata do paulistão, lorena bueri gata do paulistão, lorena sexy, diego cristo, diego a fazenda, diego cristo afazendo