Money

Brasileiro e CEO da Mining Express, Kaze Fuziyama, rebate acusações de que a empresa estaria envolvida em transações ilegais

A empresa sofreu a segunda apreensão de seus equipamentos por parte das autoridades ucranianas. A assessoria Jurídica da Mining Express, afirma que a apreensão dos equipamentos foi uma intervenção ilegal e arbitrária do governo local

3 min de leitura
09 Fev 2022 - 06h00 | Atualizado em 09 Fev 2022 - 06h00

A Mining Express é uma empresa de mineração de criptomoedas com localização na Ucrânia, registrada em Kiev em março de 2018, pertencente ao brasileiro Kaze Fuziyama.

Contudo, a companhia vem sendo investigada pela Comissão de Valores Mobiliários do Brasil (CVM), assim como pelas autoridades ucranianas, sob acusação de atividades conectadas à mineração de criptomoedas e Marketing Multinível.

Com financiamento da Edelweiss Investiment Trading Company de Hong Kong, teve os equipamentos apreendidos pelas autoridades locais em decorrência da acusação de fraude.

Por sua vez, o departamento jurídico da Mining Express alega que a apreensão foi uma atitude ilegal e arbitrária, sem nenhum apoio legal que justifique a ação. Acredita-se que o negócio de Kaze Fuzyiama vem sofrendo uma forte conspiração, onde as investigações estão sendo realizadas para benefício próprio.

As manobras corruptas das autoridades ucranianas

De acordo com declarações de Kaze Fuzyiama, há uma prática corriqueira em países como Ucrânia e Rússia, onde empresas estrangeiras e lucrativas chamam a atenção de autoridades corruptas, acobertadas pela lei, que cometem centenas de infrações durante o processo, tornando quase impossível que o investidor recupere o domínio sobre o estabelecimento.

Além do mais, o empresário enfatiza que estão tentando criar um malabarismo teórico sem qualquer tipo de prova, criando relações infundadas de que a Mining Express seja uma pirâmide financeira. Em outras palavras, Kaze Fuzyiama explica que criaram um caso criminal contra a empresa com o intuito de tomar o negócio na ‘mão grande’.

Infelizmente, só tiveram conhecimento dessa manobra após todo o problema ter início, mas agora o empresário não quer somente que a Mining Express volte para sua administração, mas sim, alertar sobre as atitudes corruptas que prejudicam a vida de dezenas de empresários.

Últimos acontecimentos

Toda essa situação já vem acontecendo desde maio de 2021, quando foi iniciada toda a investigação. Desde então, a empresa vem contestando as acusações e apresentando provas cabais de sua inocência.

Recentemente, a empresa sofreu a segunda apreensão de seus equipamentos por parte das autoridades ucranianas. A assessoria Jurídica da Mining Express, afirma que a apreensão dos equipamentos foi uma intervenção ilegal e arbitrária do governo local:

Essa apreensão vem sendo praticada nesses últimos 4 (quatro) dias, por Autoridades com atitudes duvidosas do Serviço de Segurança da Ucrânia, em evidente conluio com o Escritório da Procuradoria Geral e com o Sistema Judiciário, sob a inoperância e inatividade do Governo Ucraniano.” , diz um comunicado da mining express.

Deixe um comentário

Lorena Bueri CEO, Lorena Bueri, madrinha perola negra lorena bueri, lorena power couple, lorena bueri paparazzi, Lorena R7, Lorena Bueri Revista Sexy, Lorena A Fazenda, Lorena afazenda, lorena bueri sensual, lorena gata do paulistão, lorena bueri gata do paulistão, lorena sexy, diego cristo, diego a fazenda, diego cristo afazendo