Bodybuilding ou Fisioculturismo, entenda seus impactos na saúde

Publicado 12 de Nov de 2020 às 15:45

A musculação é um esporte muito visual, com isso, o físico impressionante de um fisiculturista é difícil de ignorar e reconhecível em todo o mundo. Embora, esses atletas passem uma quantidade insana de tempo na academia e aperfeiçoando suas dietas, essa prática pode afetar bastante em sua saúde. O levantamento de peso intensivo e treinamento de força que os fisiculturistas passam, acabam induzindo a mudança em seus corpos, tornando-os mais fortes e magros.

Leia mais: Redes sociais e sua influencia nos transtornos alimentares

Aumentar a massa muscular, não é apenas saudável a curto prazo, mas também pode trazer benefícios de saúde duradouros. Por exemplo, com a idade vem uma perda de massa muscular e força atribuída à sarcopenia, o declínio natural e normal do músculo. Aumentar a massa muscular mais cedo na vida, pode ajudar a desacelerar esse declínio muscular natural, mantendo-o mais forte por mais tempo. A longo prazo, pode ajudá-lo a viver de forma independente e a manter uma melhor qualidade de vida na velhice, embora tenha algumas desvantagens potenciais.


 

Conheça a história do Ator e Fisioculturista, Arnold Schwarzenegger (Vídeo: Reprodução/Youtube)


Entre seus benefícios, a musculação pode ajudar a contribuir para uma melhor saúde óssea. O treinamento de resistência associado à musculação, coloca pressão sobre seus ossos e os força a se adaptarem e se tornarem mais fortes e densos. Isso, pode ajudar a prevenir o aparecimento de osteoporose e até mesmo torná-lo menos suscetível a quebras e fraturas.

Infelizmente, embora a musculação possa beneficiar a saúde muscular e óssea, ela pode ser prejudicial à saúde geral do coração. De acordo com a Body Dysmorphic Disorder Foundation, o levantamento intenso é como levantar mais da metade do peso total do seu corpo e pode colocá-lo em risco de rasgar a aorta, uma lesão cardíaca frequentemente fatal. Veja outros riscos à saúde associados à musculação a longo prazo:

Lesão por uso excessivo

A técnica deficiente (técnicas de treinamento focadas no desenvolvimento muscular, em vez de no “bom movimento”) combinadas com cargas pesadas, podem ser um risco por razões ortopédicas. No entanto, os riscos são menos preocupantes para a saúde do que o sedentarismo.

Excesso de treinamento

Normalmente, é mais comum em atletas de resistência, que abusam no treino e acabam com fadiga adrenal e vários distúrbios hormonais. Entretanto, os fisiculturistas que treinam 6 vezes por semana, às vezes duas vezes ao dia, com alto nível de intensidade e pouco no sentido de uma boa periodização ou planejamento de programas ainda são suscetíveis a ela.

Lesão aguda

Todos os tipos de treinamento apresentam algum risco e, estatisticamente falando, levantar pesos tem um dos riscos mais baixos de qualquer atividade de "condicionamento físico", mas, isso não significa que as pessoas não se machuquem ao fazê-lo.

Saúde mental (distúrbios da imagem corporal)  

Muitos fisiculturistas são afetados por condições de imagem corporal como Ortorexia Nervosa (uma obsessão com a “dieta perfeita e limpa”), Bigorexia (também conhecida como Anorexia Reversa ou Dismorfia Muscular, basicamente, eles acreditam que são “muito magros”) e Desordem Dismórfica Corporal (uma obsessão por defeitos físicos, mesmo os realmente pequenos).

Abuso de substâncias

Geralmente, pode estar relacionado ao problema de saúde mental. Pessoas que sofrem dos distúrbios acima, são mais propensas a abusar de substâncias e outros suplementos, como cafeína, efedrina, dentre outros. Frequentemente, essas substâncias por si mesmas, consumidas na dosagem apropriada e monitoradas por um médico não seriam um problema. Mas, quando usadas de forma abusiva, causam rupturas de tendão, problemas cardíacos e outros problemas de saúde física.

Palumboismo

Está fortemente relacionado ao abuso de substâncias, além, de mexer com o sistema endócrino (hormonal).

Desordem Metabólica

O ciclo constante de hidratação e desidratação, a preparação para o estágio e o estilo de vida de muitos fisiculturistas podem ser menos “saudáveis” do que você imagina. Os efeitos de longo prazo, nunca foram realmente estudados, mas há uma indicação de que alterar o peso e a gordura corporal por um longo período de tempo pode levar a distúrbios metabólicos mais tarde na vida. Essencialmente, mexe com seus hormônios.

Cabe ressaltar, que todo o treinamento ou dieta focada em atender as metas e objetivos finais de condicionamento físico, precisam ser aconselhados por um profissional da área.

 

(Foto destaque: Bodybuilding ou Fisioculturismo, entenda seus impactos na saúde. Reprodução/Goodfon)

 

Deixe um comentário