Música

Alanis Morissette revela estupro sofrido aos 15 anos no documentário 'Jagged'

Em entrevista ao The Washington Post, Alanis Morissette desabafa sobre o documentário 'Jagged' - que abordou o estupro sofrido pela artista aos 15 anos. A estreia ocorreu na última segunda (13), no Festival Internacional de Toronto.

3 min de leitura
14 Set 2021 - 18h30 | Atulizado em 14 Set 2021 - 18h30

Em seu primeiro álbum internacional, “Jagged Little Pill”, de 1995, já mostrou a que veio emplacando o álbum como o mais vendido por uma mulher ao redor do mundo – foram mais de 33 milhões de cópias vendidas nos quatro cantos do planeta.

Que ela é uma cantora talentosíssima e multifacetada, não restam dúvidas – além de cantar, também é compositora, produtora, atriz e escritora – mas o que ninguém sabe, são os percalços pelos quais ela passou e que deram vazão às músicas coléricas e desditosa.

Na última segunda (13), foi exibido no Festival Internacional de Toronto – cidade natal da artista – o documentário “Jagged”. A produção relata a vida da estrela e alguns fatos são impactantes. O The Washington Post teve acesso ao registro antes mesmo da cantora obtendo também, uma declaração da própria em que revela ter sido estuprada por vários homens quando tinha apenas 15 anos.

“Vou precisar de ajuda porque nuca falo sobre isso”, inicia. “Levei anos em terapia para admitir que houve algum tipo de vitimização da minha parte. Eu sempre dizia que estava consentindo, e então me lembrava tipo ‘ei, você tinha 15 anos, você não está consentido aos 15’. Agora eu fico tipo, ‘oh sim, eles são todos pedófilos’. É tudo estupro estatutário”, relembra.


Camaleônica é a palavra que melhor descreve Alanis Morissete (Divulgação/Instagram)


Em nenhum momento os nomes dos agressores são citados. A artista pranteia por pessoas como ela sofrer tal abuso e ainda assim, ser criticada delação. “As mulheres não esperam; nossa cultura não escuta”, discorre no documentário. A falta de apoio por parte da indústria musical traz certa revolta a Morissette. “Contei para algumas pessoas e caiu em ouvidos mouco”, revolta-se. Cabe ainda ressalta que para proteger sua família e futuros parceiros, Alanis preferiu não dividir incidentes ocorridos na adolescência.

Revelador. É como pode ser considerado este longa com 97 minutos envolto de pura emoção. Outro ponto alto é a luta da cantora contra a anorexia e a bulimia. Outras questões abordadas foram a má gestão financeira – fato esse que a deixou com 5 milhões de dólares a menos em sua conta – e a depressão pós-parto.


Alanis Morissette continua a brilhar nos palcos com empolgantes apresentações (Reprodução/Instagram)


Sob a direção de Alison Klayman e produzido pela HBO, “Jagged” – rodado na casa da cantora na Califórnia – está programado para estrear no dia 19 de novembro, como parte da série Music Box de documentários musicais do canal. Enquanto isso, já tomou vários dias desta semana na agenda do Festival de Toronto.

Antes do lançamento, o The Washington Post informou que a estrela estaria insatisfeita com o filme e não compareceria à estreia. Seu descontentamento vem de uma suposta deturpação dos fatos.

 

https://lorena.r7.com/colunista/Martina-Froes/post/Musicos-da-banda-Cranberries-lancam-tributo-a-Dolores-ORiordan

https://lorena.r7.com/colunista/Martina-Froes/post/Elton-John-lancara-novo-album-repleto-de-parcerias

https://lorena.r7.com/colunista/Martina-Froes/post/Apos-40-anos-de-hiato-ABBA-retorna-triunfante-com-Voyage

 

Em comunicado divulgado por seu publicitário, a cantora disse: “Concordei em participar de um artigo sobre a celebração do 25º aniversário de 'Jagged Little Pill' e fui entrevistada durante um período muito vulnerável – enquanto estava no meio de minha terceira depressão pós-parto durante o bloqueio. Fui enganada por uma falsa sensação de segurança e sua agenda lasciva tornou-se evidente assim que vi o primeiro corte do filme. Foi quando eu soube que nossas visões eram de fato dolorosamente divergentes. Esta não foi a história que concordei em contar”, indigna-se sem revelar os pontos divergentes de sua narrativa.

Como jamais passaria pela cabeça de Klayman que sua direção iria resultar no total descontentamento de Morissette, antes de sua declaração e sabendo que a estrela não compareceria ao evento, afirmou: “Claro, teria sido ótimo se ela pudesse estar aqui conosco, mas estou muito grata por todo o tempo que ela dedicou a fazer este filme”, agradece.

Atualmente em turnê, a cantora dispara: “Decidi não comparecer a nenhum evento sobre este filme por dois motivos: um é que estou em turnê agora. A outra é que, não diferente de muitas 'histórias' e biografias não autorizadas por aí ao longo dos anos, esta inclui implicações e fatos que simplesmente não são verdadeiros. Embora haja beleza e alguns elementos de precisão nesta minha história, com certeza, no final das contas, não vou apoiar a visão redutiva de outra pessoa sobre uma história com muitas nuances para que eles possam entender ou contar”, finaliza.

 

Foto Destaque: Alanis Morissette. (Reprodução/Albert Sanchez/ The Guardian)

Deixe um comentário