Notícias

A famosa El Niña causa grandes estragos em mais de dez estados brasileiros

Enchentes e alagamentos atrapalham as festas da chegada do novo ano. O raro fenômeno ambiental chegou causando estragos e destruições por várias partes do Brasil

3 min de leitura
04 Jan 2022 - 21h06 | Atualizado em 04 Jan 2022 - 21h06

Desde o fim do ano passado, o país tem passado por muitos estragos ambientais, referentes as fortes chuvas. O mais afetado foi, de longe, a Bahia, porém, outros 11 estados também estão sofrendo com o raro fenômeno que está passando pelo Brasil neste momento.

O fenômeno climático, conhecido como El Niña, é famoso por causar uma diminuição na temperatura da superfície do Oceano Pacífico, Tropical Central e Oriental. Vindo do oeste do continente sul-americano, o episódio costuma chegar aos estados brasileiros sempre nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro.

Desta vez, a região nordeste está sendo a mais impactada. A Bahia permanece em estado de alerta desde novembro passado, com represas rompidas e outras correndo grande risco. As ruas do Ceará foram invadidas pelas fortes águas e, nas últimas 24h, 119 dos 184 municípios ficaram debaixo de chuva.

No Tocantins, a chuva já permanece há várias semanas e não tem previsão de parar. Mais de 300 pessoas estão sem um teto, muitas foram levadas até abrigos públicos ou casas de amigos e parentes. 35 municípios, dos 139, estão sendo afetados.


Cidades na Bahia enfrentam as consequência do El Niña (Foto: Reprodução/Amanda Perobelli)


O valor esperado para o mês de janeiro inteiro no Piauí foi registrado no primeiro fim de semana do ano. Um alerta vermelho foi acionado na região, e o restante dos municípios permanecem em alerta laranja. Já em Santa Catarina, diversas regiões de Florianópolis decretaram estado de emergência.

Na última segunda-feira, a BR-010 ficou interditada por causa das fortes chuvas que estão assolando o Estado do Maranhão. Mais de 130 famílias estão desabrigadas, 44 estão desalojadas por falta de espaço e outras 86 estão em abrigos provisórios.

Em Minas Gerais, três alertas de chuvas fortes foram acionados em mais de 800 cidades, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia. 718 estão com grau alto de perigo e 118 estão com o que é considerado “potencial perigo”. 136, incluindo Belo Horizonte, estão em alerta de acúmulos de chuva, existindo a possibilidade de tempestades intensas.

São Paulo, Pernambuco e Goiás são os que estão com situações menos ruins, mas não menos preocupantes. O primeiro está passando por uma fase de fortes chuvas, com estado de atenção para alagamentos. O segundo sofreu com águas acumuladas em algumas cidades. E o terceiro teve mais de 400 famílias afetadas pelas tempestades, além de pontes destruídas pela força da água.

 

Foto Destaque: Cidade alagada. Reprodução/Isac Nóbrega.

LEIA MAIS

Deixe um comentário