Celebridades

Bruno Gagliasso abre coração sobre paternidade e relembra caso de racismo contra Titi

O ator Bruno Gagliasso participou do programa Fala Celio! e comentou sobre como descobriu seu amor pela atuação. O ator falou também sobre o que a paternidade mudou em sua vida e relembrou caso de racismo que sua filha, Titi, sofreu em 2017.

3 min de leitura
18 Nov 2020 - 18h28 | Atulizado em 18 Nov 2020 - 18h28

Bruno Gagliasso foi o último entrevistado da temporada do programa Fala Celio! de Celio Ashcar Jr. O apresentador não poupou elogios à seu amigo Bruno e família, e disse que escolheu o ator especificamente para acabar a temporada com chave de ouro. Durante o programa, o ator falou sobre sua arte, sua família e sobre racismo. 

Celso começou a conversa dizendo que Bruno é um dos melhores atores de sua geração, e o ator, muito humilde, disse não conseguir acreditar nessa afirmação e por isso está sempre em busca de ser um ator melhor. “Eu acho que nasci ator, foi muito cedo. É lógico que eu custei a falar ‘é isso que eu quero fazer profissionalmente’. Mas eu acho que você nasce ator, ou você vira. (...) Eu não consigo me imaginar fazendo outra coisa. E quando eu digo ser ator é ser artista, sabe? É tá ligado a arte de certa maneira. Tudo que eu faço, eu tento procurar arte.(...) Arte é vida”.

Leia Mais: Vem lançamento por aí! Anitta faz gravação de clipe no Piscinão de Ramos

Em seguida, Celio conversa com Bruno sobre sua família e pergunta sobre o que a paternidade mudou a vida do ator. “Tudo! Não tem uma coisa específica, mudou tudo. Mudou meu olhar pro mundo, meu olhar pela minha profissão, o respeito pelos meus amigos, o respeito pelos meus pais.(...) Porque eu me pego fazendo coisas que meus pais faziam comigo.(...) A minha visão sobre educação mudou. Tudo muda.”

Durante a conversa descontraída, Bruno expressou todo seu amor por sua família diversas vezes, inclusive contando que sua rotina na quarentena está uma bagunça com seus três filhos com Giovanna, Titi (7 anos), Bless (5 anos) e Zyan (4 meses). O ator também relembrou os ataques racistas que sua filha, Titi, sofreu em 2017. O artista comentou que nunca pensou em ter que passar por uma situação pela qual passou.


Bruno compartilhou em suas redes sociasi, arte feita por fã de sua família. (Foto: Reprodução/Instagram)


"Eu lutei como um leão para defender a minha filha, mas, na verdade, o que eu fiz, foi o mínimo, como pai, como ser humano e como cidadão, que prega e quer igualdade, respeito, e que quer que as pessoas evoluam", respondeu Bruno.

O artista continuou dando seu ponto de vista para que a sociedade melhore, através do estudo. "Quando a gente estuda, a gente só enriquece, só aprende. Preconceito nada mais é do que falta de conhecimento ou mau-caratismo. Então, se você tem conhecimento, você começa a enxergar com mais facilidade e saber o quão ignorante é ou não.”

Bruno assumiu ser um racista, por causa da educação que recebeu, mas que está diariamente em desconstrução. "Eu sou um racista em desconstrução, porque a gente é fruto de uma sociedade que aprendeu muita coisa errada. Então, a gente [ele, Ewbank e os filhos] está sempre aprendendo o tempo inteiro e eu tenho certeza que meus filhos serão antirracistas e, quando eu digo isso, é porque a gente está aprendendo juntos. E eu estou aprendendo para poder ensiná-los cada vez mais e fazê-los seres humanos fortes."

(Foto Destaque: Bruno Gagliasso abre coração sobre paternidade e relembra caso de racismo contra Titi. Reprodução/ Instagram)

Deixe um comentário