Notícias

TSE e WhatsApp fazem parceria para combater fake news durante eleições

Será criado um canal de denúncias de contas suspeitas de disparo de mensagens em massa, assim como um assistente virtual (Chatbot) oficial do Tribunal no aplicativo do WhatsApp

3 min de leitura
28 Jan 2022 - 10h33 | Atualizado em 28 Jan 2022 - 10h33

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e o WhatsApp estão discutindo novas maneiras de combater a desinformação, visando apoiar o processo eleitoral no Brasil.

O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, reuniu-se nesta quinta-feira (27), com o chefe do WhatsApp, Will Cathcart, para discutir as ações que serão implementadas pelo aplicativo de mensagens para combater notícias falsas e apoiar o processo eleitoral no Brasil para as Eleições de 2022. O programa de combate à desinformação conta com a colaboração do WhatsApp desde 2019.


Reunião entre TSE e WhatsApp. (Foto: Rprodução/ TSE)


De acordo com o comunicado, será criado um canal de denúncias para apontar contas suspeitas de disparos em massa de mensagens. A ação não é permitida tanto na legislação eleitoral quanto nos termos de serviço do aplicativo.

Também será desenvolvido um assistente virtual (chatbot) oficial do TSE no WhatsApp, que vai facilitar, por exemplo, o acesso a serviços da Justiça Eleitoral, como consulta ao local de votação e informações sobre os candidatos.

O ministro Luís Roberto Barroso declarou a respeito da reunião: “Tive uma conversa boa e construtiva com o chefe do WhatsApp, Will Cathcart, a propósito da importância da plataforma nas eleições brasileiras e os compromissos que precisamos ter para minimizar a desinformação e os ataques antidemocráticos”. Ele continuou: "Embora algum grau de regulação estatal seja inevitável, o modelo ideal deve partir de medidas concretas e políticas das próprias plataformas. Isso pode ser feito mediante regras claras e transparentes nos seus termos de uso e serviços, como também por meio de parcerias com os órgãos públicos, quando necessário".

Barroso ainda destacou que o acordo visa “proteger a democracia contra comportamentos inautênticos, mas sem restrição indevida ao debate público e à liberdade de expressão”.

Nas últimas eleições, o WhatsApp e o Tribunal já tinham fechado parceria para evitar disparos em massa. Foi feito um formulário online em que era possível denunciar contas para o TSE durante o período eleitoral. O aplicativo baniu 1.042 contas na época.

 

 

Foto destaque: TSE e WhatsApp discutem medidas para evitar fake news durante as eleições. Reprodução/ Photo by Artur Widak/NurPhoto via Getty Images

Deixe um comentário

Lorena Bueri CEO, Lorena Bueri, madrinha perola negra lorena bueri, lorena power couple, lorena bueri paparazzi, Lorena R7, Lorena Bueri Revista Sexy, Lorena A Fazenda, Lorena afazenda, lorena bueri sensual, lorena gata do paulistão, lorena bueri gata do paulistão, lorena sexy, diego cristo, diego a fazenda, diego cristo afazendo