Notícias

Medidas de restrição aos não vacinados são discutidas em diversos países

Estados Unidos e alguns países da Europa como a Itália e França, analisam nesta semana medidas de restrição aos não vacinados para conter a disseminação da covid-19, após recorde de casos.

3 min de leitura
10 Jan 2022 - 15h54 | Atualizado em 10 Jan 2022 - 15h54

Com o avanço da Ômicron e outras variantes da Covid-19, a flexibilização das medidas de isolamento e um movimento antivacina crescente, alguns países, sobretudo os da Europa, seguem apresentando cada vez mais casos da doença.

Assim, o debate acerca da obrigatoriedade da imunização e restrições aos não vacinados vem se tornando cada vez mais necessários. Nos próximos dias, decisões finais sobre esses tópicos serão feitas em países como Itália, Grécia e Áustria.

A Europa, segundo números do Our World In Data, da Universidade de Oxford, tem menos de 70% da população vacinada, o que não é considerado o ideal para conter os infectados pelo vírus. A média móvel de casos subiu mais de 150% desde o início de dezembro.

A Itália, teve na sexta-feira (7), o maior número de infectados desde o começo da pandemia, com cerca de 200.000 novos casos. Assim, o país se encontra com 11 zonas amarelas, dentre as 21 regiões italianas, com algumas correndo o risco de avançar para a zona laranja.

O país ainda aprovou na semana anterior a obrigatoriedade da vacina para todas as pessoas com mais de 50 anos. Um comprovante de imunização será solicitado em qualquer atividade como acesso ao transporte público, restaurantes, bares, hotéis, entre outros. A medida entra em vigor no dia 15 de fevereiro.


Dos 59 milhões de habitantes, 28 milhões de italianos têm mais de 50 anos (Foto: Divulgação/AFP)


A Áustria anunciou que a vacina será obrigatória a todos os maiores de 14 anos a partir de fevereiro. Aos não vacinados, uma multa de aproximadamente 3.600 euros será cobrada caso forem pegos. A Grécia também aderiu a medida, porém, a obrigatoriedade será para os maiores de 60 anos a partir deste domingo (16).

Na Alemanha, os não vacinados já são proibidos de entrar em alguns espaços, desde dezembro. Além disso, o público em jogos de futebol foi reduzido e algumas regiões com grande número de infectados fecharam espaços como casas de festa, bares, entre outros.

Estados Unidos

Além dos países europeus, os Estados Unidos também enfrentam uma alta nos infectados, com mais de 700.000 novos casos diários na média móvel em sete dias, o que é sete vezes maior que o início de dezembro.

Nesta semana, será discutida a decisão sobre a obrigatoriedade da vacinação em funcionários de grandes empresas, plano do presidente Joe Biden. Alguns governos locais já têm implementado algumas medidas como o comprovante de imunização para entrar em locais públicos.

 

Foto Destaque: Itália quebrou recorde de casos nos últimos dias - Créditos: Divulgação/Alberto PIZZOLI/AFP

LEIA MAIS

Deixe um comentário