BBB

Linn da Quebrada é Camarote no BBB22: 'Agitadora cultural, cantora, atriz, apresentadora e mais umas coisinhas'

Linn da Quebrada, atriz e cantora LGBTQIA+ é mais uma confirmada no Camarote do BBB22. A artista é natural de São Paulo e tem dois álbuns lançados, além de um programa no Canal Brasil e ter participado em séries.

3 min de leitura
14 Jan 2022 - 21h44 | Atulizado em 14 Jan 2022 - 21h44

Chegou o grande dia. A lista dos participantes do BBB 22 (Big Brother Brasil) será divulgada nesta sexta-feira (14) pela Globo. Confira a atualização em tempo real conforme os nomes forem sendo confirmados! 

Segundo a Globo, os participantes serão confirmados em duplas ao longo da programação da emissora. Como no ano passado, o BBB terá dois grupos: anônimos estarão no grupo Pipoca e os famosos farão parte do time Camarote, já que foram convidados para participar do reality show.



Linn da Quebrada, de 31 anos, é mais uma confirmada no Camarote do BBB22. A artista se define como uma 'Agitadora cultural, cantora, atriz, apresentadora e mais umas coisinhas'. Nascida em São Paulo e criada em Votuporanga até o fim da infância, foi criada pela tia dentro da religião de Testemunhas de Jeová, Linn foi expulsa da congregação que fazia parte no momento em que começou a entender sobre sua sexualidade. 

Aos 23 anos, ela descobriu um câncer. A doença fez com que ela se enxergasse de uma forma diferente: “Passei pelo processo de quimioterapia e perdi os cabelos, mas foi o momento em que eu mais me aproximei de mim mesma. Adoecida, dentro de casa, eu deixava de ser interessante aos outros olhos”.

Na arte, Linn encontrou uma forma de reencontro consigo mesma. A cantora e atriz já participou de séries, tem dois álbuns lançados e um programa no Canal Brasil. Em 2022, Linn passou a assinar oficialmente com seu nome: Lina Pereira dos Santos, sendo esse um importante marco na sua vida. 

“Eu ainda sou uma exceção. A grande maioria das travestis não tem a possibilidade de trabalhar, atuar e ter dignidade na sociedade. Pode parecer, às vezes, até clichê, mas é preciso que a gente olhe para si e se pergunte: Quantas pessoas travestis e pessoas trans vocês conhecem? Quantas travestis e pessoas trans vocês convivem? Com quantas vocês trabalham? Quantas fazem parte do seu ciclo familiar? Quantas travestis vocês amam, gostam e admiram?”, reflete. 

Foto destaque: Linn da Quebrada. Reprodução/Gshow

LEIA MAIS

Deixe um comentário