Notícias

Jovens brasileiros têm soluções para frear as mudanças climáticas e se destacam na Olimpíada global de ciência climática

Torneio reuniu 12 mil participantes de diferentes países para debater sobre desenvolvimento sustentável no Sudeste asiático; Soluções brasileiras conquistam medalhas

3 min de leitura
14 Nov 2021 - 17h14 | Atualizado em 14 Nov 2021 - 17h14

A Olímpiada ClimateScience, que busca soluções para as mudanças climáticas, reuniu mais de 12 mil participantes, de 149 países, sendo 2.229 brasileiros. Realizado pela primeira vez, os jovens de 14 a 25 anos tiveram que pensar em ações de combate à mudança do clima e defendê-las ao júri de especialistas. Entre os 50 melhores que responderam a pergunta “como promover o desenvolvimento sustentável no Sudeste asiático?”, oito são estudantes brasileiros, que foram convidados para a cerimônia de premiação, na Cúpula do Clima (COP-26), em Glasgow.

Os jovens estudantes brasileiros apontam que é urgente solucionar as causas e os impactos das mudanças climáticas e afirmam que “têm propostas concretas”. Sendo uma delas, que teve destaque no top 10, o plano de adaptação com desenvolvimento sustentável apresentada pela  Carolina Dias, aluna de Ciência Política Universidade Federal do Pampa (Unipampa), de 21 anos,  e sua dupla Frances Andrade, de 26 anos, mestrando em Ciências Florestais da Federal de Viçosa.


Carolina Oliveira e Frances Alves ficaram entre os dez primeiros colocados da Olímpiada ClimateScience. (Foto: Reprodução/Celina Pinage)


Por cerca de dez meses, jovens de diversos países pensaram e apresentaram suas propostas para conter o avanço da mudança do clima. Para Carolina, “a Olimpíada mostra que a juventude pensa de fato em soluções”.

Mariana Camargo, de 17 anos, atuou com Rafael Cordani, da mesma idade, no plano sobre energia - abordando o uso de fontes hidrelétricas e solares, com painéis flutuantes, em estações de tratamento de água ou na superfície de lagos e lagoas - e ação antidesmate, indicando que é necessário estimular novas técnicas agrícolas. A jovem estudante do terceiro ano do ensino médio no Colégio Santa Cruz, em São Paulo, disse que “a premiação aponta que estão no caminho certo”.

 

https://lorena.r7.com/post/COP-26-Australia-continuara-com-producao-de-carvao

https://lorena.r7.com/post/Como-a-mudanca-climatica-pode-afetar-nossa-saude

https://lorena.r7.com/post/Como-a-mudanca-climatica-vem-afetando-as-pessoas-ultimamente


As primeiras colocações foram para os jovens do Vietnã, Reino Unido, Canadá e Hong Kong, que dividiram o prêmio de US$ 15 mil. Todos os 50 finalistas receberam medalhas, sendo 100 de bronze e 10 de ouro. O Brasil conquistou oito medalhas de prata e dois times ficaram entre os dez primeiros. “Seremos os próximos a estar na COP resolvendo os problemas climáticos”, expressou Bruna Leão, de 16 anos, que ficou entre os 50 melhores.

 

Foto Destaque: Sudoeste asiático. Reprodução/Leugchopan/ Getty Images

Deixe um comentário

Lorena Bueri CEO, Lorena Bueri, madrinha perola negra lorena bueri, lorena power couple, lorena bueri paparazzi, Lorena R7, Lorena Bueri Revista Sexy, Lorena A Fazenda, Lorena afazenda, lorena bueri sensual, lorena gata do paulistão, lorena bueri gata do paulistão, lorena sexy, diego cristo, diego a fazenda, diego cristo afazendo