Saúde

Imunização infantil contra Covid-19 não está uniforme

O ritmo da imunização de crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19 enfrenta variações entre as capitais brasileiras. Parte do motivo para essa lacuna é consequência do ataque ao Ministério da Saúde por hackers em dezembro de 2021.

3 min de leitura
05 Fev 2022 - 16h00 | Atualizado em 05 Fev 2022 - 16h00

A vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19 não está uniforme nas capitais brasileiras, segundo o levantamento de dados feito pelo GLOBO, realizado entre quarta-feira (2) e sexta-feira (4). Entre as capitais que responderam ao levantamento, São Paulo e Belém apresentaram as maiores taxas, como 54,2% e 36,7% respectivamente. Em terceiro lugar está o Rio de Janeiro com 29,66%, o que resulta em 166 mil crianças. As capitais com menores índices são Fortaleza com 8%, Teresina com 3,78% e Boa Vista com 2,33%.

Dados desatualizados, problemas técnicos no registro e o processamento da plataforma de monitoramento sanitário são fatores agravantes nessa falta de ritmo da campanha. Resquícios dos ataques ao sistema do Ministério da Saúde por hackers em dezembro de 2021 atrapalham a precisão da contabilização. É possível que efeitos dos ataques reverbere até fevereiro.

Renato Kfouri, diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) e presidente do Departamento de Imunizações da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), insinua algum tipo de impedimento nos dados coletados, dizendo que Roraima e Pará têm registrado 7% de crianças vacinadas com a primeira dose contra a Covid-19; isso está errado.


Levantamento do GLOBO com base em dados das secretarias municipais de Saúde, considerando o total da população-alvo da vacinação infantil. (Foto: Reprodução/ O Globo)


Gilberto Albuquerque, presidente da Fundação Municipal de Saúde, enfatiza: “O Ministério da Saúde ainda está com problemas no cadastro dos dados, mas estamos tocando a campanha e registrando em sistema próprio. Depois, quando o do governo federal normalizar, vamos ter que digitar tudo de novo. Digitar, mesmo.

O consórcio de imprensa mostra que 2.659.814 crianças de 5 a 11 anos tomaram a primeira dose, o que significa 13% da população dessa faixa etária. Segundo o coordenador na Rede Análise Covid-19, Isaac Schrarstzhaupt, o Brasil deve imunizar todas as crianças em quase cinco meses caso mantenha o ritmo atual de 1% a cada 1,5 dia.

É super importante ressaltar que o ritmo nunca se mantém, principalmente se a vacinação é voluntária e não compulsória. Se houver mais hesitação, dos pais ou responsáveis, pode ter mais dificuldade.” – alerta Isaac Schrarstzhaupt.

Diferentes tipos de abordagens estão sendo tomadas em diversas capitais. Belo Horizonte e Campo Grande, por exemplo, implementaram a vacinação nas escolas, outras estão abrindo as unidades médicas de saúde aos fins de semana. Capitais como Aracaju, Goiânia, Florianópolis e Vitória, Rio Branco, Salvador e Maceió não responderam ao pedido até o momento.

 

Foto Destaque: Os indices de imunização infantil no Brasil estão fora do ritmo. Reprodução/Pixabay

Deixe um comentário

Lorena Bueri CEO, Lorena Bueri, madrinha perola negra lorena bueri, lorena power couple, lorena bueri paparazzi, Lorena R7, Lorena Bueri Revista Sexy, Lorena A Fazenda, Lorena afazenda, lorena bueri sensual, lorena gata do paulistão, lorena bueri gata do paulistão, lorena sexy, diego cristo, diego a fazenda, diego cristo afazendo