Notícias

Eleições 2022: Marina Silva anuncia apoio à candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva

O anúncio foi feito nesta segunda-feira (12) em entrevista coletiva realizada em São Paulo. Para analistas políticos, o momento é histórico, pois acontece 13 anos após rompimento com o Partido dos Trabalhadores.

3 min de leitura
12 Set 2022 - 13h00 | Atualizado em 12 Set 2022 - 13h00

Nesta segunda-feira (12), a ex-senadora e ex-ministra Marina Silva anunciou apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que concorre à Presidência da República nas eleições deste ano pelo Partido dos Trabalhadores.

O apoio de Marina Silva, que já foi filiada ao Partido dos Trabalhadores e foi ministra do Meio Ambiente no primeiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva, foi anunciado durante encontro em São Paulo.

Marina Silva rompeu com o petismo em 2009 e foi candidata à Presidência da República em 2010, pelo Partido Verde (PV), enfrentando Dilma Rousseff, candidata pelo Partido dos Trabalhadores (PT). Em 2014, ela candidatou-se ao mesmo cargo pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) e em 2018, pela Rede Sustentabilidade.


Marina Silva e Luiz Inácio Lula da Silva. (Foto: Reprodução/O GLOBO)
Marina Silva e Luiz Inácio Lula da Silva. (Foto: Reprodução/O GLOBO)


O reencontro, portanto, marca uma reaproximação entre Luiz Inácio Lula da Silva e Marina Silva. Em seu discurso, a ex-senadora justificou o apoio ao petista apontando uma real necessidade de união para combate ao que ela chamou de 'semente maléfica do bolsonarismo' que, segundo ela, é uma ameaça à democracia brasileira.

"Compreendo que, nesse momento crucial da nossa história, quem reúne as maiores e melhores condições para derrotar Bolsonaro e a semente maléfica do bolsonarismo que está se implementando no seio da nossa sociedade, agredindo irmãos brasileiros, ceifando vida de pessoas por pensarem diferente, é a sua candidatura", disse Marina Silva ao lado do presidenciável que lidera as pesquisas eleitorais.

"Em nome daquilo que está acima de nós, e olhando de baixo para cima para ver o que está acima de nós, é que eu manifesto o meu apoio, de forma independente, ao candidato, ex-presidente e futuro presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva", completou ela.

O partido de Marina Silva, Rede Sustentabilidade, anunciou apoio ao ex-presidente e agora candidato Luiz Inácio Lula da Silva no final de abril. Contudo, na época, lideranças do partido disseram que a decisão representava a "maioria" da sigla e que filiados que discordassem da ideia poderiam manifestar apoio a outros candidatos. A ex-senadora não participou do evento em que o apoio foi anunciado.

Nesta segunda, ela chamou o apoio ao presidenciável de "reencontro político e programático" e disse que nunca deixou de estar pessoalmente próxima do ex-presidente.

Em seu discurso, Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que o apoio de Marina Silva à candidatura dele vêm num momento de violência política e em que "a democracia está fugindo pelos nossos dedos".

Ele citou os casos de dois petistas que foram assassinados por bolsonaristas, no Paraná e no Mato Grosso. Também citou o vídeo de grande repercussão em que um apoiador de Bolsonaro diz que não doaria mais cestas básicas a uma mulher que declara voto a ele.

"O momento que estamos vivendo exige muito mais compreensão de todas as pessoas que fazem política porque a democracia está correndo risco nesse país", disse o candidato pelo Partido dos Trabalhadores.

"Vocês viram agora um companheiro do PT ser assassinado no dia do seu aniversário. Vocês viram agora um companheiro quase ser decapitado por outro, na cidade de Confresa, no Mato Grosso. E vocês viram a cena grotesca, vergonhosa, humilhante do comportamento de um reacionário bolsonarista entregando uma cesta básica para uma companheira que necessitava de um alimento e teve a pachorra de perguntar em quem que ela ia votar", destacou.

Meio ambiente como prioridade

Na oportunidade, Marina Silva pediu que fossem incluídas no programa de governo do petista propostas dela para a área ambiental.


Marina Silva foi ministra do Meio Ambiente do governo Lula. (Foto: Reprodução/Metrópoles)Marina Silva foi ministra do Meio Ambiente do governo Lula. (Foto: Reprodução/Metrópoles)


Em entrevista coletiva, ela disse que a agenda ambiental foi "destruída" durante o governo Jair Bolsonaro, que concorre à reeleição pelo Partido Liberal (PL), e que o apoio ao Lula também ocorre na expectativa de retomada das política públicas neste setor num eventual novo governo do petista.

Questionada sobre críticas feitas ao PT depois de ter deixado o partido, a ex-ministra do Meio Ambiente afirmou que as críticas sempre vão existir, mas que neste momento "algo que é mais importante nos une".

“Quem é que quer um país socialmente justo? Todos queremos. Quem quer um país economicamente próspero? Todos queremos. Quem quer um país culturalmente diverso? Todos queremos. Quem quer um país politicamente democrático? Todos queremos. Quem quer um país ambientalmente sustentável? Todos queremos. É nessa base comum que estamos aqui comprometidos", disse Marina Silva.

Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que "a questão ambiental será levada muito a sério" em um eventual novo mandato dele e que as propostas da ex-ministra do Meio Ambiente para o setor serão incluídos no programa do PT. Ele disse que, se eleito, "todos os ministros terão obrigação com a questão climática".

"Coisa como garimpo, não terá. O desmatamento a gente vai bloquear. As nossas fronteiras, a gente vai tomar conta delas para combater o narcotráfico. Obviamente que isso não pode acontecer em 24 horas porque tem que estruturar", finalizou.

Coletiva de imprensa

Em entrevista coletiva, realizada em São Paulo, Marina Silva, que disputa uma vaga na Câmara dos Deputados pela Rede Sustentabilidade (REDE), anunciou apoio à candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva, que disputa o Palácio do Planalto pelo Partido dos Trabalhadores (PT).

O jornalista Thiago Martins, do Portal R7, participou da entrevista coletiva que foi transmitida ao vivo pelo canal do Partido dos Trabalhadores no YouTube.


Detalhes da coletiva de imprensa. (Foto: Thiago Martins/Twitter)Detalhes da coletiva de imprensa. (Foto: Thiago Martins/Twitter)


Analistas políticos avaliam o apoio como histórico, pois ele acontece 13 anos após rompimento de Marina Silva com o petismo.

 

Foto destaque: Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Marina Silva (REDE). Reprodução/Estado de Minas

Deixe um comentário

Lorena Bueri CEO, Lorena Bueri, madrinha perola negra lorena bueri, lorena power couple, lorena bueri paparazzi, Lorena R7, Lorena Bueri Revista Sexy, Lorena A Fazenda, Lorena afazenda, lorena bueri sensual, lorena gata do paulistão, lorena bueri gata do paulistão, lorena sexy, diego cristo, diego a fazenda, diego cristo afazendo