Demi Lovato sai em defesa de Taylor Swift por causa de pronunciamento político

Publicado 15 de Oct de 2020 às 19:21

A cantora norte-americana Demi Lovato lançou um novo single "Commander In Chief", na última quarta-feira (14). No entanto, a letra da música não fala sobre amor, relacionamentos ou até mesmo da sua carreira. Perto da eleição presidencial que acontece no próximo dia 03 de novembro, nos Estados Unidos, a artista fez uma crítica ao governo Trump.

Neste sentido, durante uma entrevista à CNN, ela contou um pouco mais sobre a canção e surpreendentemente, saiu em defesa de Taylor Swift, com quem já teve alguns atritos no passado. Isto porque, a cantora não gostava de se posicionar politicamente e acabava recebendo milhares de críticas.


Taylor Swift e Demi Lovato. (Foto: Reprodução/Vix)


"Você está condenado se você se manifestar. Você pode citar Taylor Swift, como exemplo perfeito para esse ditado. Por anos, ela foi massacrada porque não estava se posicionando ou defendendo esses direitos. Então, ela decidiu tomar uma posição de responsabilidade e se tornou muito política, mas há pessoas que estão insatisfeitas com isso também. É, tipo, voce tem que ser autêntico com você mesmo. Para mim, é usar a minha plataforma para falar sobre coisas que eu acho que estão erradas", explicou.

Leia mais: Quais são as separações mais faladas de 2020? Confira a lista

Além disso, Demi contou que a música foi uma forma de expressar suas perguntas e dúvidas ao presidente. "Eu pensei que uma forma de fazer isso é escrever uma música e lançá-la para o mundo inteiro ouvir. E então, ele tem que responder essas perguntas a todos e não apenas a mim", contou.

Então, na música, a artista questiona Trump sobre o racismo e a pandemia da Covid-19. Em um trecho, ela escreve: "Você pelo menos sabe a verdade, estamos em crise, pessoas morrendo" e também: "Como se sente? Ainda consegue respirar?".

Veja o clipe da música Commander In Chief:


(Vídeo: Reprodução/YouTube)


 

(Foto destaque: Demi Lovato sai em defesa de Taylor Swift por causa de pronunciamento político. Reprodução/People)

 

Deixe um comentário