Esportes

Atlético MG exige punição severa e revela ter pago fiança para a equipe do Boca Juniors

Na noite de ontem (20/07) a equipe do Atlético Mineiro enfrentou o Boca Juniors pela Copa Conmebol Libertadores, após o termino da partida vencida pela equipe mineira os jogadores do time argentino, não aceitando a derrota e a eliminação da competiç

3 min de leitura
21 Jul 2021 - 23h29 | Atulizado em 21 Jul 2021 - 23h29

Na noite de ontem (20/07) a equipe do Atlético Mineiro enfrentou o Boca Juniors pela Copa Conmebol Libertadores, após o termino da partida vencida pela equipe mineira os jogadores do time argentino, não aceitando a derrota e a eliminação da competição, provocaram um grande tumulto na área interna do estádio do Mineirão. Com grades e até um bebedouro sendo arremessado no ar pela equipe do Boca também houve uma tentativa de invasão de vestiário, a confusão só foi encerrada com a atuação da polícia militar. 



Confusão no estádio do Mineirão após o jogo de Atlético Mineiro e Boca Juniors - Foto: Reprodução Fox Sport


De acordo com informações da polícia militar, o delegado da partida foi agredido durante a confusão. Oito membros do Boca Juniors vão responder por três crimes: lesão corporal, agressão e depredação do patrimônio público. Os identificados previamente foram: O goleiro Javier Garcia, os zagueiros Carlos Zambrano, Carlos Izquierdoz e Marcos Rojo, o atacante Sebastián Villa, o preparador de goleiros Fernando Gayoso, o auxiliar Leandro Somoza e o dirigente Raul Cascini.

Hoje o clube mineiro se pronunciou, amparado no boletim de ocorrência registrado pela polícia, apontou responsabilidade exclusiva do Boca Juniors sobre os incidentes ocorridos no estádio do Mineirão. A equipe estrangeira foi encaminhada a delegacia e passaram a madrugada e a manhã desta quarta-feira prestando depoimento.

Em nota oficial o Atlético Mineiro exige uma punição severa aos integrantes do Boca Juniors envolvidos na confusão, o time mineiro faz um relato cronológico dos fatos, garante que o Mineirão é seguro, diz também ter dado total apoio a equipe argentina diante as autoridades policias brasileiras e revelou que o presidente, Sergio Coelho, repassou do próprio bolso R$6 mil em espécie, para pagar a fiança de liberação dos membros do Boca Juniors identificados pela polícia, já que a equipe argentina não tinha dinheiro em espécie e em moeda nacional, o clube argentino prometeu fazer o ressarcimento do dinheiro. 

 

 

 

Foto Destaque: Confusão após o jogo do Atlético MG e Boca Juniors, no Mineirão - Foto: Reprodução Fox Sport 

Deixe um comentário