Celebridades

Gustavo Rocha assume homossexualidade em vídeo no YouTube

Com 7 milhões de seguidores no Instagram, Gustavo Rocha se emocionou com áudio da mãe sobre aceitação de sua orientação sexual

3 min de leitura
07 Out 2020 - 14h19 | Atulizado em 07 Out 2020 - 14h19

Gustavo Rocha, que ganhou fama ao dançar ao lado do irmão, Túlio, deu detalhes sobre sua relação com a própria orientação sexual após se assumir gay em uma campanha de seu Instagram. No vídeo, publicado em seu canal do Youtube, Gustavo confessou que demorou para se relacionar com homens, apesar de gostar de meninos "desde que se entende por gente". 

"Eu sou uma pessoa independente desde os meus 17 anos. E nesses 6 anos que eu estou na internet eu sempre fui questionado sobre uma coisa que talvez as pessoas não devessem ser questionadas, porque devia ser uma coisa mais naturalizada. Todos os dias eu recebo mensagens sobre isso. Naturalmente eu vim falar sobre isso, mas já é tão naturalizado na minha cabeça", defendeu Gustavo, de 23 anos, ao começar a contar sua história. 

"Desde que eu nasci, desde que eu me entendo por gente, eu sou gay. Gosto de meninos desde criancinha, eu nasci dessa forma e vou morrer desse jeito. (...) Mas desde que eu era criança, eu sempre namorava as menininhas e tudo mais. Eu me lembro de quando eu tava, sei lá, no jardim, que tinha um menininho e eu gostava dele. E isso pra mim, era meio confuso na minha cabeça, porque não é o que me foi ensinado", detalhou o influenciador, que acumula 7 milhões de seguidores no Instagram. 

Gustavo ainda contou que sofreu com o preconceito desde a infância por preferir brincar com meninas e pelas características consideradas "femininas" pelos colegas. 

"O tempo foi passando, eu virei adolescente, e sofri muito bullying na escola. Eu sempre fui o tipo de garoto que gostava de ficar com as meninas, os meninos sempre iam jogar bola e eu preferia ficar com elas, brincando de queimada ou pular corda. E isso pra mim era uma coisa que eu queria fazer, era o que me fazia bem. Eu tinha uma voz muito fina antes de entrar na puberdade, e os meninos me zoavam muito por isso. Tinha um menino, que eu lembro até hoje do rosto dele, que ameaçava me bater porque eu não brincava com os meninos. E pra mim foi muito difícil ter que lidar com isso sem saber o que se passava, porque eu era só uma criança", lembra o influencer. 

Famoso pelo canal dos "Irmãos Rocha" ao lado do gêmeo Túlio, ex-participante do "De Férias com o Ex", Gustavo falou que a convivência com o irmão heterossexual dificultou seu processo de aceitação. 


Gustavo Rocha posou em frente a um armário aberto com uma camiseta estampada de arco-íris ( Reprodução/instagram)


"Meus pais me levavam no futebol e eu sempre fiz futebol minha vida toda. Eu gostava de jogar bola, para mim não era um monstro de 7 cabeças, mas quando eu tinha uns 17 anos de idade eu não queria mais fazer aquilo. Eu cheguei nos meus pais e falei que não queria mais jogar bola. E era muito difícil porque, pra quem não conhece, eu tenho um irmão gêmeo, ele chama Túlio, e meu irmão sempre foi muito o homão da família, o másculo, o hétero top. E eu sempre fui muito comparado a ele, e pra mim isso era a parte mais difícil, porque acho que as pessoas esperavam que eu fosse igual a ele, e eu nunca ia ser, porque eu era eu", contou ele, emocionado. 

Ainda segundo o influenciador, desistir do esporte foi uma experiência traumática em sua jornada de autoconhecimento. Ele confessou que chegou a se machucar de propósito ao enfrentar a resistência dos pais. 

Contudo, ele ainda contou sobre o momento em que seus pais ficaram sabendo de sua sexualidade, afirmando que foi obrigado a assumir ser gay depois do vazamento de uma foto sem sua autorização. Gustavo enfrentou um período de tristeza profunda depois de ser exposto. O influenciador se disse contra a pressão para assumir a orientação sexual, estimulando seus seguidores a contarem que pertencem à comunidade LGBT apenas quando se sentirem confortáveis. 

Leia mais: Léo Santana sobre relacionamento com Lore Impronta: 'Namoro ioiô

"Depois de tanto conversar com Deus eu acabei entendendo que não é com quem eu me relaciono que vai me definir. Minha orientação sexual não me define, eu só quero amar quem eu quiser amar. E pra mim não há nada de errado nisso. Eu não entendo o ódio tão grande que as pessoas têm quando elas veem duas pessoas do mesmo sexo felizes. Existe uma frustração muito grande dentro dessas pessoas", defendeu. 

(  Foto Destaque: Reprodução/youtube)

Deixe um comentário