Saúde e Bem Estar

Lipoaspiração: Veja os riscos deste procedimento cirúrgico

A cirurgia de lipoaspiração consiste na aspiração de gordura localizada. Dentre os principais riscos estão o de cicatrizes desfavoráveis, assimetria e trombose aguda.

3 min de leitura
26 Jan 2021 - 16h38 | Atulizado em 26 Jan 2021 - 16h38

Cada vez mais vemos uma pressão de padrão estético na sociedade, muitas pessoas acabam fazendo procedimentos estéticos para ir em busca do “corpo perfeito“. Porém, isso tem um custo, infelizmente alguns desses procedimentos não saem como o esperado e acabam se tornando em verdadeiras tragédias e fatalidades. Fica a pergunta: Vale realmente a pena? Alguns casos são necessários pela questão da saúde, já outros é somente pelo visual.

Segundo médicos especialistas, os indicados para o procedimento cirúrgico de lipoaspiração são: Adultos, com 30% do seu peso ideal, que têm a pele firme e com bom tônus muscular; Indivíduos saudáveis que não tenham doença com risco de vida ou condições médicas que possam prejudicar a cicatrização; Não fumantes; Indivíduos com atitude positiva e expectativa realista do resultado cirúrgico; Indivíduos determinados a seguir as recomendações do cirurgião plástico.

Leia mais: Vacinação: Veja quem pode se vacinar nesta primeira fase e como será a distribuição no Brasil

O que é?

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) diz que a lipoaspiração pode ser usada para tratar acúmulos de gordura em várias partes do corpo, incluindo coxas, braços, pescoço, cintura, costas, parte medial do joelho, peito, bochechas, queixo, pernas e tornozelos. Em alguns casos, a lipoaspiração é realizada isoladamente, em demais casos, ela é usada com procedimentos de cirurgia plástica tais como o facelift, a redução de mama ou a abdominoplastia. 


 

 Lipoaspiração (Foto: Reprodução/Freepik)


Principais riscos

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) listou algumas situações que podem surgir após o procedimento da liposaspiração. Veja:

- Cicatrizes desfavoráveis;

- Sangramento (hematoma);

- Acúmulo de líquido (seroma);

- Riscos anestésicos;

- Má cicatrização;

- Necrose da pele;

- Dormência ou demais alterações de sensibilidade da pele;

- Assimetria;

- Despigmentação da pele e/ou inchaço prolongado;

- Queimadura causada pelo ultrassom – técnica de lipoaspiração assistida por ultrassom;

- Danos em estruturas mais profundas tais como nervos, vasos sanguíneos, músculos e pulmões;

- Trombose venosa profunda, complicações cardíacas e pulmonares;

- Fios de sutura podem espontaneamente emergir na pele, tornando-se visíveis ou causar irritação que exija sua remoção e possibilidade de novo procedimento cirúrgico.

Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, a prática da medicina e da cirurgia não é uma ciência exata. Apesar de serem esperados bons resultados, não há garantia. Em algumas situações, pode não ser possível atingir resultados com um único procedimento cirúrgico, sendo necessária uma nova cirurgia. Caso a pessoa sinta falta de ar, dores no peito ou batimentos cardíacos anormais, a recomendação é procurar atendimento médico imediatamente. 

Perguntas importantes para serem feitas

A SBCP ainda indica uma lista de sugestões para as pessoas que irão fazer a cirurgia perguntarem para o médico.

- Você é especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica?
- Você foi treinado especificamente no campo da cirurgia plástica?
- Quantos anos de treinamento em cirurgia plástica você teve?
- A instalação da sala de procedimento em seu consultório é autorizada pela Vigilância Sanitária de sua cidade?
- Sou um bom candidato a este procedimento?
- O que se espera de mim para que os melhores resultados sejam obtidos?
- Onde e como será realizado o procedimento?
- Qual técnica cirúrgica é recomendada para o meu caso?
- Quanto tempo de recuperação posso esperar, e que tipo de ajuda vou precisar durante minha recuperação?
- Quais são os riscos e as complicações associados ao meu procedimento?
- Como são tratadas as complicações?

(Foto destaque: Lipoaspiração: Veja os riscos deste procedimento cirúrgico. Reprodução/Freepik)

Deixe um comentário