Bem Estar

Entenda um pouco mais sobre a esclerose múltipla e como a atividade física pode aliviar os sintomas

Mais de 40 mil brasileiros vivem com a esclerose múltipla, segundo a Abem. Apesar de não existir uma cura, existem meios de diminuir os seus sintomas e promover uma melhora no bem-estar.

3 min de leitura
20 Set 2021 - 20h15 | Atulizado em 20 Set 2021 - 20h15

Um documento apresentado pela Organização Essa (Exercício e Ciências do Esporte da Austrália), aponta para o treinamento físico como uma forma de aprimorar a força muscular, o equilíbrio, a fadiga, mobilidade, capacidade funcional, aptidão cardiorrespiratória para aqueles que sofrem com esclerose múltipla leve à moderada, além de representar, assim, uma qualidade de vida melhor para eles.

A esclerose múltipla pode ser considerada como uma doença crônica e autoimune, afetando o sistema nervoso central, em outras palavras, a medula espinhal e o cérebro. De acordo com o Ministério da Saúde, no Brasil, cerca de 15 pessoas a cada 100 mil habitantes são afetadas por esta doença. O seu diagnóstico é feito por um profissional da saúde e, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), os sinais da doença são muito diversos e, sendo assim, existe uma frequência alta de diagnósticos errados ou tardios.

De acordo com os pesquisadores do estudo, a prática de exercícios aeróbicos e de fortalecimento dos músculos afetados pela esclerose são de extrema importância, com uma frequência de duas a três vezes por semana, em uma intensidade moderada, por no mínimo, 30 minutos. A recomendação é que seja adicionado, também, exercícios de equilíbrio, principalmente para as pessoas que possuem um histórico frequente de quedas.


Entenda um pouco mais sobre a esclerose múltipla e como a atividade física pode aliviar os sintomas. (Foto: Reprodução/ Pexels)


A reabilitação deve ser focada nas queixas e necessidades individualizadas, assim como a frequência, a periodicidade e a intensidade, sempre respeitando o limiar da fadiga”, é o que diz Juliana Aparecida Rhein Telles, fisioterapeuta afiliada à Associação Brasileira de Esclerose Múltipla (Abem).

 

Covid-19: Pfizer entrega mais 2,28 milhões de doses para o Brasil e avança nos estudos para vacinação de crianças

Pesquisa aponta para a desvalorização dos cuidadores e as dificuldades que eles sofrem

Coronavac possui proteção acima de 90% em pessoas com comorbidades


Uma pessoa com a esclerose múltipla pode apresentar problemas de visão, tontura, problemas motores, dificuldades de fala e deglutição, entre muitos outros. O fato é que, normalmente, um indivíduo não costuma apresentar todos os sintomas, sendo assim, eles são imprevisíveis e poder variar em cada caso.

 

Foto Destaque: Atividade física. Reprodução/ Pexels.

Deixe um comentário