Fábio Assunção fala sobre o uso das drogas: ‘A dependência química é tratada de forma mítica’

Publicado 01 de May de 2021 às 13:11

Depois de muitos anos de luta, Fábio Assunção, de 49 anos de idade, está vivendo uma etapa de felicidade na sua vida pessoal e profissional. A chegada da pequena Alana, foi uma redescoberta da paternidade. O ator também segue um novo trabalho com a série ‘Onde Está Meu Coração’, que chega na terça-feira (04), no Globoplay, a exibição do primeiro capítulo será na segunda-feira (03), na Tela Quente. O ator irá interpretar o médico David, pai de Amanda, personagem de Leticia Colin, uma jovem médica que começa a fazer o uso das drogas.


Fábio Assunção e Leticia Colin nos bastidores (Reprodução: Instagram)


A obra foi escrita por George Moura e Sergio Goldenberg, direção artística de Luísa Lima, e irá apresentar os conflitos enfrentados por uma família por conta de dependência de drogas. Segundo o que Fábio disse em entrevista para a revista Quem, o tema abordado é importante. "É um assunto muito bem resolvido na minha cabeça. É preciso falar sobre a dependência química. O álcool, por exemplo, é uma droga pesadíssima. Acidentes horríveis acontecem pelo uso de álcool, crimes de violência doméstica... Somos vulneráveis", disse.

Enaltecendo a qualidade narrativa da trama. "Essa série é um ponto de virada e fala sobre o desmoronamento de uma família. Ele é um pai apaixonado pela filha, personagem da Letícia Colin. Quando vê a filha dependente de crack, ele se desorienta completamente e decide por uma internação compulsória. Mas como um tratamento vai ter efeito em um tratamento obrigatório? A dependência química é tratada de forma mítica”, afirma.

Com 200 milhões de seguidores no Instagram, Messi posta sobre abusos na internet

Power Couple Brasil 5: Victória Villarim nega Covid-19 e conta real motivo de recusar reality

Luisa Mell testa positivo para a COVID-19 novamente: ‘Estou bem mal’

De acordo com o ator, debater o assunto nas telinhas é de certa forma positiva. "A sociedade não discute o tema. A gente vê adolescentes se embriagando e a galera achando astral. Quando acontece dentro de casa, aí você se debruça sobre o assunto. Acho uma grande oportunidade do tema ser discutido de forma adulta, sem a questão da exclusão”, comentou.

Fábio fala que ajudou Letícia Colin na construção da personagem. "Levei a Letícia ao N.A. [Narcóticos Anônimos]. Os diretores quiseram tratar esse tema com muito respeito. Queríamos mergulhar no tema para que ele fosse abordado de uma maneira bacana. Fizemos rodas de partilha emocionantes, que nos garantiram momentos ótimos”, diz.

(Foto destaque: Fábio Assunção fala sobre o uso das drogas: ‘A dependência química é tratada de forma mítica’. Reprodução: Estevam Avellar/TV Globo)

Deixe um comentário